Justiça Federal autoriza sequestro de bens de ex-presidente da Delta

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Operação da PF apreendeu na casa de Cavendish três carros de luxo por suspeita de que tenham sido comprados com dinheiro de origem ilegal

O juiz da 7ª Vara Federal Criminal no Rio de Janeiro autorizou nesta terça-feira (1º) o sequestro de bens de Fernando Cavendish, ex-presidente da Delta Construções, e de outros envolvidos em possível desvio de recursos públicos, no valor total de R$ 350 milhões.

A informação foi confirmada pela assessoria da Polícia Federal no Rio de Janeiro, mas a Justiça Federal no Estado alegou que o inquérito corre em segredo de Justiça e que não poderia se pronunciar sobre o caso.

Leia mais: PF cumpre mandados de busca e apreensão na Delta

Rio: Justiça condena dono da Delta e ex-prefeito por desvio de verba

Na Operação Saqueador, deflagrada hoje, onde foram cumpridos 20 mandados de busca e apreensão, a Polícia Federal apreendeu na casa de Cavendish três carros de luxo. De acordo com o coordenador da operação, delegado de Polícia Federal Tacio Muzzi, os carros foram recolhidos por suspeita de que tenham sido comprados com dinheiro de origem ilegal.

“Na Rua Delfim Moreira foram apreendidos três carros, computadores e documentos que serão analisados”. Também foram apreendidos, ao todo, R$ 350 mil em espécie, no Rio de Janeiro e São Paulo.

A PF não divulgou mais detalhes do que foi apreendido, já que a investigação ainda está em curso. Segundo a PF, a Delta Construções pode ter desviado R$ 300 milhões para 19 empresas de fachada entre 2007 e 2012. O trabalho começou no fim do ano passado, quando a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Cachoeira enviou os documentos com o nome das empresas que estariam envolvidas.

Cerca de 100 policiais cumpriram 20 mandados de busca e apreensão desde o começo da manhã, na sede e filiais da empresa Delta Construções nos estados do Rio de Janeiro, de São Paulo e Goiás, além de endereços comerciais e residenciais das 19 empresas suspeitas.

Outro lado

Em nota, a construtora disse ter sido "surpreendida" pela operação e que irá prestar todos os esclarecimentos necessários às autoridades competentes. Leia a íntegra:

"A Delta Construções foi surpreendida pela operação policial de busca e apreensão realizada na manhã desta terça-feira (01/10), uma vez que encontra-se em recuperação judicial, homologada em janeiro de 2013 pelo juízo da 5ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Toda movimentação financeira e contábil da empresa é acompanhada e fiscalizada pela Justiça, Ministério Público e administrador judicial Deloitte Touche Tohmatsu. A Delta afirma que todos os esclarecimentos serão prestados às autoridades competentes, contribuindo de forma plena com a investigação."

Com Agência Brasil

Leia tudo sobre: operação saqueadorcavendishdelta

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas