Saúde vai investir R$ 542 milhões no programa 'Mais Médicos' em 2013

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Valor pode ser superado, pois plano funciona em sistema de emergência, sem a exigência de licitação

Agência Estado

O Ministério da Saúde estima investir ao menos R$ 542 milhões até dezembro no programa 'Mais Médicos'. O valor inclui gastos assumidos desde o início das atividades, em agosto. O valor pode ser superado, pois o plano já funciona em sistema de emergência, sem a exigência de licitação para hospedagens e passagens aéreas. No entanto, médicos formados no exterior que já receberam registro provisório ainda esperam para começar a trabalhar pelo País.

Além disso, como 71% dos registros profissionais ainda não foram liberados pelos conselhos regionais. Os profissionais sem aval para trabalhar estão sendo pagos para conhecer as unidades, participar de reuniões e observar colegas em ação. Em São Paulo, essa é a rotina de 55 médicos.

Leia mais: 
Pelo menos 61 profissionais do Mais Médicos recebem registro provisório
Universidades alegam sobrecarga com programas governamentais
Médicos estrangeiros chegam aos Estados, mas disputas ameaçam programa


Até quinta-feira, houve 647 registros protocolados. Destes, 182 foram emitidos - 161 nas últimas duas semanas. De acordo com o cronograma do governo, os brasileiros com diplomas nacionais aprovados começam a trabalhar na terça-feira.

Em municípios da Grande Porto Alegre, nove profissionais com registro provisório ainda participavam na semana passada da "territorialização" - termo usado pelo ministério para definir a fase de contato com colegas da Estratégia de Saúde da Família (ESF). Na sexta-feira, apenas um deles prestava consultas. Dois já tinham registro e os outros seis receberam o documento na quinta e começarão a trabalhar amanhã. No Nordeste, a realidade não é diferente. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia tudo sobre: mais médicossaúde

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas