Aécio Neves pede fim de 'ciclo perverso' de governo do PT

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Provável candidato à sucessão presidencial em 2014, senador participou de encontro do PSDB em Curitiba

Agência Estado

Dirceu Portugal/Futura Press
Aécio Neves falou na comemoração de 25 anos do PSDB, realizada no Clube Urca, em Curitiba

No Encontro Regional do Sul do PSDB, realizado neste sábado (28) em Curitiba, o presidente nacional da sigla e provável candidato à sucessão presidencial em 2014, senador Aécio Neves, conclamou os correligionários a darem fim ao que classificou de "perverso ciclo de governo do PT no País". Arrancando aplausos da plateia nas críticas ao partido adversário, Aécio disse que o PSDB vai priorizar o debate da ética nesta campanha.

Em programa do PSDB, Aécio faz tour pelo Brasil para atacar governo Dilma

Aécio Neves adota discurso de candidato em evento do PSDB no Nordeste

"Nós (do PSDB) respeitamos o dinheiro público e o PT o desvia em todos os instantes", afirmou, alegando que há um verdadeiro desperdício de recursos no que ele chamou de "verdadeiro cemitério de obras bilionárias inacabadas", citando como exemplo a transposição do Rio São Francisco, que já consumiu mais de R$ 3 bilhões e não foi concretizada. 

Ao lado do governador do Estado, o tucano Beto Richa, e de parlamentares tucanos como os senadores Aloysio Nunes Ferreira (SP) e Álvaro Dias (PR), entre outros correligionários, Aécio Neves culpou a impunidade que impera no País. E voltou aos ataques ao governo Dilma Rousseff: "Eles (petistas) transformaram as agências reguladoras em negócios ilícitos." Ele pregou ainda a necessidade de um pacto federativo, onde se possa discutir a distribuição de recursos mais justos entre os entes federativos. "A base maior de todos os problemas está na fragilização da federação no Brasil, com um Estado unitário e a quase totalidade dos recursos nas mãos da União", afirmou.

Pesquisas
No discurso que fez aos militantes presentes ao encontro, Aécio também citou as recentes pesquisas eleitorais. De acordo com a mais recente pesquisa Ibope/Estado, o tucano está no patamar de 11%, enquanto a presidente Dilma Rousseff (PT) registra 38% e a ex-senadora Marina Silva (que ainda tenta a aprovação do registro de seu partido, o Rede) aparece com 16%. Aécio disse que não está preocupado com as pesquisas eleitorais. E argumentou que, para ele, o que essas pesquisas mostram é que entre 60% a 65% da população brasileira não quer votar para a reeleição da atual presidente da República. "Mesmo com essa mídia fantástica que ela tem", alfinetou.

"E nessa última pesquisa publicada ontem (CNI/Ibope), em sete quesitos de avaliação do governo, seis avaliações são extremamente negativas. Cerca de 80% da população acha que a gestão do atual governo em relação à saúde é muito ruim; em relação à educação, cerca de 70%; em relação à segurança, mais de 70%. Apenas para citar alguns exemplos. Isso que é concreto", disse. E continuou: "Não dá para você comparar, hoje, alguém que tem 100% de conhecimento, já disputou eleição presidencial, está todos os dias na mídia, com pessoas que não são ainda conhecidas. O dado consistente e que deve preocupar muito o governo é esse. Porque, na minha avaliação, quem for para o segundo turno com a atual presidente da República, ganha as eleições. E eu espero que seja o PSDB."

Os encontros regionais do PSDB serão realizados até o final do ano. De acordo com a sigla, eles têm a finalidade de discutir problemas e apresentar propostas que farão parte da agenda que será apresentada à população brasileira em 2014, ano de eleições gerais no País.

Leia tudo sobre: aécio nevespsdbpt

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas