Essa é a segunda vez que o deputado, condenado pelo STF e preso, vira alvo de cassação na Câmara

O Conselho de Ética da Câmara aprovou nesta quarta-feira (25), por unanimidade, a abertura de mais um processo por quebra de decoro contra o deputado afastado Natan Donadon (sem partido-RO), condenado a 13 anos por desvios e preso em Brasília.

É a segunda vez que Donadon vira alvo de cassação. Da primeira, conseguiu escapar em votação no plenário da Câmara.

Leia mais: STF suspende sessão que manteve mandato de Natan Donadon

Entenda: Câmara absolve Natan Donadon do processo de cassação do mandato

Os 13 membros do colegiado seguiram o voto do relator deputado José Carlos Araújo (PSD-BA) a favor da representação apresentada pelo PSB. Com a decisão, ele será notificado e terá dez dias para apresentar defesa ao Conselho de Ética. 

Condenado, Donadon cumpre pena de 13 anos na Penitenciária da Papuda, em Brasília
Agência Câmara
Condenado, Donadon cumpre pena de 13 anos na Penitenciária da Papuda, em Brasília

No último dia 28, após o plenário da Câmara absolver Donadon, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), anunciou seu afastamento e apresentou com urgência a PEC que institui o voto aberto nas votações. A proposta foi aprovada na Câmara e agora está no Senado.

Donadon, o primeiro deputado preso por determinação do STF desde a Constituição de 1988, está na penitenciária da Papuda, em Brasília, desde o final de junho. Ele foi condenado por peculato e formação de quadrilha a 13 anos, quatro meses e dez dias de prisão por desvio de R$ 8,4 milhões da Assembleia Legislativa de Rondônia, quando era diretor financeiro da instituição.

A sessão que livrou Donadon foi suspensa pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso suspendeu a sessão da Câmara até que o plenário da Corte julgue o mérito da ação movida pelo líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP).

Com Agência Câmara 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.