Vereadores de SP dispensam carro alugado pela Câmara e escolhem modelo mais caro

Por Wanderley Preite Sobrinho - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Maioria dos parlamentares que trocou o Fiat Línea 0 km por um Corolla alega economia na manutenção; dinheiro é descontado dos R$ 18 mil da verba de gabinete

Divulgação
Modelo ilustrativo do Fiat Linea, substituído por 11 vereadores da Câmara Municipal de SP

“O espaço interno é pequeno”, “falta segurança”, “o consumo de gasolina é alto”. Essas são algumas justificativas apresentadas ao iG pela maioria dos 11 vereadores da Câmara Municipal de São Paulo que abriu mão do carro contratado pela Casa para servi-los e alugou outro modelo – quase sempre mais caro – para rodar pela cidade.

O modelo dispensado é o Fiat Linea zero quilômetro, que custa R$ 52,5 mil pela tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Para fornecer um modelo a cada parlamentar, a Câmara assinou um contrato com uma empresa de Curitiba por R$ 1,8 milhão. A condição é o desconto mensal médio de R$ 2.649,04 da verba de R$ 18.159,38 a que cada vereador tem direito para cobrir os custos do mandato, como serviços gráficos, correios e deslocamentos pela capital.

Mais: Despachante, vereador de SP quer obrigar o emplacamento de bicicletas

A opção preferida da maioria é o Toyota Corolla, que custa entre R$ 59,6 mil e R$ 82,3 mil ainda de acordo com a Fipe. O modelo foi escolhido pelo vereador Masataka Ota (PSB), que no final de abril devolveu o Linea e contratou o modelo quatro portas, automático da Toyota ao preço de R$ 1.415,68 por sete dias. Nos meses seguintes, o aluguel do Corolla foi renovado ao preço mensal de R$ 5.309,00.

O vereador justifica a mudança afirmando que o Fiat sofreu “uma falha mecânica no freio da roda dianteira esquerda”. “O vereador optou pela locação do Corolla, um dos veículos mais seguros e confiáveis existentes no mercado”, explica a assessoria do parlamentar.

Reprodução
Recibo de veículo alugado pelo vereador Masataka Ota (PSB): Corolla a R$ 5,3 mil mensais

Quem também elegeu o Corolla foi o vereador Vavá (PT), que desde maio paga R$ 3,8 mil mensais pelo novo carro. “O Corolla é, sem dúvida, de melhor qualidade e mais seguro. E o preço, com seguro, foi o mais baixo do mercado”, justifica.

Leia também: Metrô de São Paulo ganha dez bicicletários

O vereador Arselino Tatto (PT) não respondeu à reportagem sobre as razões para abrir mão do veículo da Fiat em troca de um Corolla por R$ 3,4 mil mensais, R$ 700 mais caro.

Por R$ 3,2 mil, o também petista Jair Tatto circula de Corolla desde abril. “No automóvel Línea havia problemas elétricos e de potência do motor, que em ruas muito íngremes trafegava com dificuldade”, diz ele.

“O Linea apresentava problemas mecânicos, especialmente na parte elétrica. Estávamos frequentemente utilizando carros reserva para a realização de reparos”, explica o vereador Alfredinho (PT), que desde abril paga R$ 3 mil mensais por seu Corolla.

Isolado: Vereador do PSOL propõe limite de aumento de salários

Já o vereador George Hato (PMDB) aluga o mesmo modelo da Toyota também por R$ 3 mil desde janeiro: “O veículo novo é mais econômico e raramente dá manutenção, diluindo assim a diferença no valor do aluguel”, garante.

Por um valor mais baixo, mas acima do carro oferecido pela Câmara, o vereador Mário Covas Neto (PSDB) trafega de Corolla desde junho pagando por ele R$ 2.850. “O veículo [da Câmara] não atende minhas necessidades por ter um espaço interno muito pequeno. Por isso, optei por locar, durante um ano, um carro melhor e com um bom custo/benefício.”

Vereadores instalam CPI dos Transportes em SP

Poucos vereadores optaram por outra marca, como o tucano Eduardo Tuma, que alegou que opta por circular com um Chevrolet Cruze ao custo de R$ 3 mil mensais - R$ 350 a mais que o Linea - pelo itens apresentados pelo veículo como "airbags laterais, airbags cortinas, cintos de segurança com pré-tensionadores, controle de estabilidade, controle de tração, luz traseira de neblina, alarme antifurto volumétrico, sensores de estacionamento traseiro, regularem de altura de faróis, que foram alguns diferenciais encontrados no Cruze (aluguel de R$ 3.000,00) e que não compõem o Linea (aluguel de R$ 2.649,04)". Além disso, o vereador afirma que não dispõe de assessores parlamentares com a única função de dirigir seu carro e que, por isso, ele mesmo dirige o veículo, economizando na contratação de um motorista.

Outros três vereadores mudaram de carro, mas escolheram automóveis com preço similar. O petista Paulo Fiorilo paga R$ 140 a menos do que desembolsava pelo Línea ao alugar um Volkswagem Polo: "Fizemos a opção por um veículo similar porém com mais opcionais”.

O vereador Alessandro Guedes (PT) escolheu um Nissan Sentra ao preço de R$ 2.635, enquanto o tucano Floriano Pesaro paga R$ 2,7 mil todo mês por um Chevrolet Cobalt.

Responsável pelos fornecimento do veículo da Fiat para a Câmara, o representante da Cotrans Locação de Veículos, Maurício de Souza, afirmou ao iG que "jamais recebeu reclamações sobre o modelo por parte dos vereadores" e que o veículo é tão bem avaliado por seus clientes quanto qualquer outro sedã da sua categoria. 

Contrato

A assessoria da Câmara explica que a devolução dos veículos e a locação de outro era permitida até julho deste ano, quando o contrato foi renovado. A partir de agora, quem quiser dispensar o automóvel terá de tomar essa decisão um mês antes da renovação do acordo.

A seguradora alega que a devolução dos automóveis poderia trazer prejuízos a ela, abrindo margem para revisão contratual e aumento do aluguel dos carros.

No momento, estão locados 63 veículos, dos quais 40 são para vereadores. O restante é usado para apoio administrativo e frota reserva.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas