‘Não interferimos na vida dos outros países’, diz Dilma na posse de ministro

Por iG São Paulo | - Atualizada às

Texto

Figueiredo substitui Patriota, que deixou o Ministério das Relações Exteriores em meio ao episódio de fuga de um senador boliviano ao Brasil sem autorização

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quarta-feira durante a cerimônia de posse do ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo Machado , que a política externa do Brasil se baseia na relação harmônica com os “irmãos latino-americanos”. Ela disse ainda que o Brasil não interfere na vida de outros países e não coloca em risco a vida de cidadãos.

A substituição de Antonio Patriota por Figueiredo ocorre em meio à crise causada pela retirada do senador boliviano Roger Pinto Molina, abrigado por 15 meses na Embaixada do Brasil em La Paz (capital boliviana).

Relações Exteriores: Novo ministro ficou conhecido por atuação na Rio+20

Entenda:  Ministro Patriota deixa o governo após fuga de boliviano

Dilma: S aída de Patriota foi maneira de amenizar constrangimento

“Não interferimos na vida dos outros países, não colocamos a vida de quem quer que seja em risco, cidadãos brasileiros ou de qualquer nacionalidade. Adotamos rigoroso conceito de não intervenção e só aceitamos ações excepcionais em defesa da preservação de vidas humanas se passarem pelo devido escrutínio e tiverem o amparo da [Organização das Nações Unidas] ONU”, disse a presidenta.

Agência Brasil
Dilma e novo ministro das Relações Exteriores, durante cerimônia de posse no Palácio do Planalto

A saída do parlamentar boliviano foi organizada pelo diplomata Eduardo Saboia, encarregado de Negócios (equivalente a embaixador interino) na Bolívia. Porém, para setores do governo, como a decisão foi tomada aparentemente de forma pessoal, houve quebra de hierarquia e se colocou em risco a vida do senador boliviano.

Leia mais: Embaixadores deixam sindicância sobre senador boliviano

Sábado: Senador boliviano que vivia em embaixada em La Paz está no Brasil

Auxílio: Senador boliviano entrou no Brasil com ajuda de ministro

Domingo: Itamaraty vai investigar entrada de senador boliviano no Brasil

Apesar da saída em meio a uma crise, Dilma elogiou Patriota e desejou boa sorte à frente do novo desafio, como embaixador do Brasil na ONU, em Nova York. “Meu governo não pode e não quer prescindir de sua experiência e conhecimento, por isso continuará contando com sua colaboração na ONU. Os desafios de Patriota são de grande relevância e urgência ao Brasil.”

Em relação ao novo ministro, Dilma disse que ressaltou a qualificação para ocupar o posto e que é testemunha de sua competência há alguns anos, pela liderança em eventos importantes, como a COP-15, em 2009 em Copenhague, na Dinamarca, e a Rio+20, em 2012, no Rio de Janeiro.

Figueiredo assume Ministério das Relações Exteriores

Ainda na cerimônia de posse, Patriota fez elogiou o novo titular da pasta. "Para substituir minhas funções, não poderia haver melhor escolha do que o Machado, amigo e colega. O embaixador Figueiredo exibe um dos currículos mais expressivos entre os diplomatas da nossa geração".

Segundo Patriota, Machado "produziu o futuro que queremos, na Rio+20". O novo ministro agradeceu as menções feitas por Patriota, e citou que a tarefa que enfrentará à frente do Itamaraty representa "suceder a um dos maiores talentos da diplomacia brasileira". Machado, até agora, era o representante permanente do Brasil junto à Organização das Nações Unidas (ONU). Patriota, por sua vez, irá para a representação junto à ONU.

Com Reuters e Agência Brasil

    Texto

    notícias relacionadas