‘Venha mais vezes nos visitar’, diz presidente da Câmara ao receber Dilma

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Alves diz que visitas da presidente ao Congresso fortalecem a democracia; Dilma vem sendo cobrada por mais diálogo com o Legislativo

Acompanhada por 11 ministros, sendo oito mulheres, a presidente Dilma Rousseff participou hoje (27) de sessão solene do Congresso Nacional em homenagem aos sete anos da Lei Maria da Penha. Na solenidade, a presidente também recebeu o relatório final CPI da Violência Contra a Mulher.

Congresso: Dilma ficou satisfeita com manutenção de vetos

Leia mais: Para Dilma, saída de Patriota ameniza constrangimento

Pesquisa: Aprovação do governo Dilma Rousseff sobe para 38%

“A sua visita muito nos honra. Venha mais vezes nos visitar, a democracia se fortalece”, disse o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). A ida de Dilma ao Congresso ocorre em um momento em que deputados e senadores têm uma pauta carregada de temas polêmicos e importantes para votar e vêm cobrando a presidente por mais diálogo.

Alan Sampaio / iG Brasília
Henrique Alves elogia visita de Dilma Rousseff ao Congresso: 'Fortalece a democracia'

Em um plenário lotado de parlamentares da base governista, representantes de entidades feministas e do Judiciário, a presença da presidente foi vista como mais um gesto de aproximação com o Legislativo. Desde que assumiu a Presidência da República, essa foi a quarta vez que Dilma visitou o Congresso Nacional.

O presidente do Congresso Nacional, Renan Calheiros (PMDB-AL) também agradeceu a presença da presidente no Parlamento e destacou que, apesar de qualquer diferença política, deputados e senadores já demostraram e, segundo ele, vão continuar demostrando que o Brasil está acima de disputas políticas e partidárias. “Sua presença aqui, por vontade e iniciativa próprias, é a enfática demonstração de respeito ao Legislativo e devoção à democracia e de pendor pelo diálogo com os demais poderes da República.”

Leia mais: Dilma critica comparação de DOI-Codi com embaixada na Bolívia

Troca na equipe: Ministro deixa o governo após fuga de boliviano

Renan enfatizou que o Congresso “sabe reconhecer gestos de humildade e atenção”, por isso, está permanentemente aberto à interação com o Executivo e o Judiciário por um Brasil mais justo e igualitário.

Na lista de votação, há sete projetos apresentados como resultado do relatório final da CPI sobre violência contra a mulher. O principal deles (PL 292/2013) define o crime de feminicídio como uma "forma extrema de violência de gênero que resulta na morte da mulher". Também está na pauta da semana proposta que classifica a violência doméstica como crime de tortura. Outro projeto permite às vítimas receber ajuda temporária da Previdência. Depois de aprovadas pelo plenário do Senado, os projetos seguem para a Câmara dos Deputados.

Com Agência Brasil

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas