Falta de quórum emperra homenagem à Rota na Câmara de São Paulo

Por Natália Peixoto - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Vereadores não conseguem número suficiente de votos para aprovar ou derrubar a Salva de Prata proposta pelo vereador Coronel Telhada (PSDB)

Ficou indefinida, pela segunda vez, a votação na Câmara de São Paulo para conceder homenagem às Rondas Ostensivas Tobias Aguiar. Os vereadores não conseguiram quórum suficiente nem para aprovar nem para derrubar a Salva de Prata aos Policiais Militares (PMs) proposta pelo Coronel Telhada (PSDB).

Leia mais: Artplan lidera disputa pela publicidade da Câmara de São Paulo

Por se tratar de um Decreto Legislativo, a homenagem poderia ser aprovada em votação simbólica, mas terá votação nominal a pedido do vereador Toninho Vespoli (PSOL) na quarta-feira passada.  Desde então, os vereadores não conseguem número suficiente para aprovar ou derrubar a homenagem.

Natália Peixoto / iG São Paulo
Na Câmara de São Paulo, manifestantes colocam faixa pedindo a "desmilitarização da polícia"

Telhada também não conseguiu avançar na votação que dispõe sobre a concessão da Medalha Anchieta e o Diploma de Gratidão da Cidade de São Paulo ao Capitão da PM Dimas Mecca Sampaio. O capitão foi um dos 55 denunciados em 2003 pelo Ministério Público pela "Operação Castelinho", quando 12 supostos integrantes da facção criminosa PCC foram mortos em uma emboscada no pedágio da rodovia de mesmo nome.

Leia mais sobre a Câmara Municipal de São Paulo:

Protestos marcam audiência pública sobre transporte público na Câmara de SP

Petistas e tucano batem boca na Câmara de São Paulo sobre cartel do metrô

Isolado na Câmara, vereador do PSOL propõe limite de aumento de salários

Em 2007, a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) da Organização dos Estados Americanos (OEA) decidiu aceitar e julgar internacionalmente o caso.

Votaram contra a homenagem ao capitão os vereadores Vespoli, Ricardo Young (PPS), Juliana Cardoso (PT), Alfredinho (PT), Nabil Bonduki (PT), Orlando Silva (PCdoB).

Manifestantes levaram uma faixa pedindo a "Desmilitarização da Polícia" e se retiraram das galerias do plenário assim que a votação pela homenagem à Rota foi descartada.

A votação contra os projetos de Telhada causaram novo mal-estar entre os vereadores, que definiram com antecedência que aprovariam todas as propostas apresentadas na sessão de hoje. A Mesa Diretora já colocou na pauta de amanhã a Salva Prata para a Rota, antes de serem analisados os projetos do Executivo.

Leia tudo sobre: câmara de são pauloigsprotacoronel telhada

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas