Partido de Marina entra com pedido de registro na Justiça Eleitoral

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Esse é um dos requisitos para que a Rede Sustentabilidade seja formalmente criada a tempo de disputar a eleição no ano que vem; prazo vence em 5 de outubro deste ano

Reuters

A Rede Sustentabilidade, partido que tem como principal fundadora a ex-senadora Marina Silva, protocolou nesta segunda-feira pedido de registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Esse é um dos requisitos necessários para que o partido seja formalmente criado a tempo de disputar a eleição no ano que vem. A data limite é 5 de outubro, a um ano da disputa de 2014. Marina é o principal nome da sigla em formação para concorrer à Presidência no próximo ano.

A partir do protocolo, o TSE terá 30 dias para analisar o pedido.

Leia mais: Marina tenta obter prazo maior para viabilizar criação da Rede

Leia também: Novo partido de Marina Silva, Rede consegue 800 mil assinaturas

Entrevista ao iG: "O Congresso inviabilizou a reforma política", diz Marina Silva

Natália Peixoto / iG São Paulo
A ex-senadora Marina Silva, o principal nome do novo partido Rede Sustentabilidade

Para ser registrado, o partido precisa apresentar mais de 490 mil assinaturas. Segundo a assessoria da Rede, o pedido foi protocolado com 304 mil assinaturas já certificadas, na expectativa que outras 220 mil já enviadas aos cartórios eleitorais sejam validadas enquanto o processo corre na Justiça Eleitoral.

A assessoria informou ainda que foram coletadas, ao todo, 860 mil assinaturas, mas após triagem, foram enviadas 637 mil para análise dos cartórios.

O documento protocolado nesta segunda-feira no TSE argumenta que a validação das assinaturas tem sido um obstáculo e que os cartórios "não cumprem sua tarefa no prazo de quinze dias, nem determinam diligências quando em dúvida acerca da autenticidade da assinatura ou da sua correspondência com os números dos títulos eleitorais informados... nem motivam o ato de recusa do apoiamento".

Leia tudo sobre: marina silvaredejustiça eleitoraleleições 2014

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas