Justiça autoriza acesso do governo de São Paulo à investigação sobre cartel

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Decisão sobre investigação de obras do Metrô e da CPTM foi informada por Alckmin: 'Infelizmente não conseguimos administrativamente, mas conseguimos judicialmente'

Agência Estado

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), disse nesta segunda-feira (12), durante visita a Serrana (SP), que o Estado conseguiu junto à Justiça Federal a autorização para ter acesso às investigações do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) sobre a suspeita de formação de cartel de empresas fornecedoras de trens do Metrô e da CPTM. "Tivemos a decisão judicial que autoriza São Paulo a ter acesso a todo processo do metrô que está no Cade. Infelizmente não conseguimos administrativamente, mas conseguimos judicialmente", disse o governador.

Especialistas: Cartéis são prática 'sistêmica', difíceis de provar e punir no Brasil

MP: Empresas de cartel do metrô serão tratadas como organizações criminosas

Alckmin: 'Se for confirmado cartel, Estado é vítima', diz governador de SP

De acordo com ele, os documentos seguirão para a Controladoria Geral do Estado (PGE), que já tem um processo administrativo sobre o caso, e para a Procuradoria Geral de Justiça, para que sejam tomadas medidas necessárias. "Sempre entendemos que nem seria necessário entrar na Justiça porque o Estado de São Paulo é o maior interessando na investigação e será o governo do Estado que entrará na Justiça, caso seja confirmado o cartel, para exigir a indenização dos prejuízos ocasionados", afirmou.

FHC defende tucanos: 'Há muita agitação, mas pouca coisa concreta'

Leia mais sobre o caso:

Superfaturamento de cartel de trens e metrô pode chegar a R$ 577 milhões

Alckmin anuncia comissão para acompanhar investigações sobre Metrô e CPTM

Petistas e tucanos tentam romper segredo de investigações do Metrô

Alckmin ressaltou que o Estado será duro no pedido de indenização, caso haja a confirmação do cartel, e voltou a criticar o veto administrativo do Cade aos documentos. "Não é possível o Estado não ter informações e todo mundo, como a imprensa, ter". disse "Se confirmado o cartel, as empresas que participaram vão responder e vão indenizar o Estado, além das outras sanções; se o agente público participar ele será responsabilizado"


Leia tudo sobre: siemenscartelgoverno de são paulogeraldo alckmin

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas