Governo faz mutirão para agilizar pagamento de emendas parlamentares

Por Luciana Lima - iG Brasília |

compartilhe

Tamanho do texto

À espera de ambiente menos hostil no Congresso na semana que vem, Planalto pretende acelerar liberação de recursos demandados por deputados e senadores

O governo federal espera contar com um ambiente menos hostil no Congresso, principalmente na Câmara, na próxima semana. O Planalto orientou todos os ministérios a fazerem um mutirão de análises das emendas e apressarem o empenho dos valores apresentados como prioridade pelos deputados e senadores.

Câmara: Votação de orçamento impositivo é adiada para semana que vem

Leia mais: Alves critica 'toma lá, dá cá' de emendas e pede aprovação de PEC

O compromisso em dar mais agilidade aos pagamentos foi assumido pela própria presidente Dilma Rousseff, durante um jantar institucional com os presidentes da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), e do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL), em julho. Na época, havia sido liberado o primeiro lote de emendas, no valor de R$ 2 bilhões. No entanto, Renan e Alves reclamaram da lentidão.

Para acalmar ainda mais os ânimos, o segundo lote de emendas parlamentares, também na ordem de R$ 2 bilhões, será liberado neste mês. Mais um lote, no mesmo valor, está previsto para ser liberado em outubro.

Leia também: Dilma negocia 'trégua' com o Congresso

Presidente: 'Vamos ser democráticos', diz Dilma sobre relação com a base

A meta é autorizar o pagamento de R$ 6 bilhões em emendas até o final do ano. “É o que normalmente se libera todos os anos”, argumentou o líder do PT no Senado, Wellington Dias, que tem ajudado nas negociações.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas