Maior parte dos eleitores perdeu o direito de votar e de exercer cargo público por condenação criminal

Agência Estado

Quase 900 mil brasileiros estão com os direitos políticos suspensos, de acordo com dados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Nessa condição, eles não podem votar nem ser votados e estão impedidos de filiar-se a partido político, exercer cargo público ou em entidade sindical e atuar como diretor ou redator chefe de jornal ou periódico.

Conforme as informações divulgadas pelo TSE, a maior parte dos 883.222 impedimentos decorre de condenação criminal. A segunda principal causa é a incapacidade civil absoluta. Ela ocorre quando a pessoa é considerada incapaz de exercer atos da vida civil, entre outros motivos, por ser portadora de doença mental. Também não podem votar nem ser votados os condenados por improbidade.

Maior colégio eleitoral do País, o Estado de São Paulo é campeão em eleitores com direitos políticos suspensos. Ao todo, 232.905 pessoas estão nessa condição. Em seguida, estão Minas Gerais, com 94.017 suspensões, Rio Grande do Sul, com 81.083, Paraná, com 70.317, e Rio de Janeiro, com 57.533.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.