'Vamos ser democráticos', diz Dilma sobre relação com a base aliada

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Presidente minimizou a insatisfação dos aliados que conseguiram impor algumas derrotas ao governo em votações na Câmara dos Deputados

A presidente Dilma Rousseff  disse que o governo será democrático na relação com a base aliada no Congresso Nacional, que já impôs algumas derrotas ao governo principalmente em votações na Câmara dos Deputados. "Vamos ser democráticos, acho que a diferença de opiniões é possível. Acredito que vamos construir um caminho muito seguro para o Brasil”, disse a presidente. 

Poder Online: Dilma tenta conter rebeldia da base na volta do recesso

Leia mais: Nove partidos deixam 'núcleo duro' de Dilma na Câmara de Deputados

Agência Brasil
Entre os peemedebistas Alves e Temer, Dilma sanciona o Estatuto da Juventude

Dilma recebe os líderes da base em reunião no Palácio do Planalto para discutir a estratégia do governo nas votações do segundo semestre e o Programa Mais Médicos, que tramita no Congresso por meio de medida provisória.

Dilma também voltou a defender nesta segunda-feira que a população seja consultada sobre a reforma política, como havia proposto em resposta às manifestações que tomaram as ruas do país em junho, afirmando que as instituições devem ser mais abertas às ruas.

Em cerimônia de sanção do Estatuto da Juventude, a presidente disse considerar que "consultar o povo nunca é demais", em referência à sugestão feita pelo Planalto ao Congresso para que realizasse um plebiscito que definiria as diretrizes para uma reformulação do sistema político.

"Quando eu propus a reforma política, propus antecedida por um plebiscito", afirmou a presidente. "Consultar o povo é democrático e é necessário para que as nossa instituições tornem-se cada vez mais permeáveis às demandas da sociedade."

A presidente sugeriu a discussão sobre a reforma após as manifestações em junho que chegaram a levar mais de 1 milhão de pessoas às ruas em um dia em diversas cidades do país.

Embora tenha sido defendida mais de uma vez pela presidente, a proposta da realização do plebiscito foi praticamente descartada por líderes aliados do governo.

Com Reuters e Agência Brasil

Leia tudo sobre: dilma rousseffbase aliadacongressoreforma política

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas