Na lei anticorrupção, Dilma compra nova briga com aliado

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Texto sancionado na quinta suprime trechos negociados com PMDB para assegurar sua aprovação no mês passado

Agência Estado

AE
Eduardo Cunha diz que PMDB avaliará queda de itens de lei anticorrupção (foto de arquivo)

A presidente Dilma Rousseff comprou mais uma briga com o PMDB, principal aliado do governo no Congresso, ao vetar trechos da lei que pune com rigor empresas privadas envolvidas em corrupção. O texto sancionado na quinta-feira (dia 1º) suprime itens negociados com o partido para assegurar sua aprovação.

Julho: Senado aprova lei para punir empresas que cometem corrupção

Houve críticas à presidente até no PT. "Tem um problema político, porque foram feitos acordos no Senado e na Câmara", afirmou o petista Carlos Zarattini (SP), relator do projeto na Câmara. O líder do PMDB na Casa, Eduardo Cunha (RJ), diz que a bancada vai avaliar a derrubada deles.

Dia 31: Após chamar aliados de 'conservadores', PT reafirma aliança com PMDB

Leia também: PT exclui PMDB de 'aliança programática'

Proposta pelo governo Lula, a nova lei tramitou mais de três anos e foi aprovada em julho, para entrar em vigor em fevereiro de 2014. Entre os principais pontos, permite ao gestor público aplicar às empresas multa de até 20% do faturamento bruto por corromper servidores, financiar crimes, usar laranjas para obter benefícios ou fraudar licitações.

Leia tudo sobre: dilma rousseffpmdblei anticorrupção

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas