Senado adia para agosto votação do projeto sobre gorjeta de garçons

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

O projeto também regulamenta que 20% das gorjetas em devem ser destinadas à aposentadoria da classe

Agência Brasil

Agência Senado
Plenário do Senado

O projeto de lei que regulamenta as gorjetas e aposentadorias dos garçons será votado somente no retorno dos senadores ao trabalho, na primeira quinzena de agosto, após o fim do recesso parlamentar. Representantes da categoria foram recebidos hoje (16) pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e fecharam acordo para que a matéria seja votada no plenário da Casa no começo do próximo mês.

Leia também: Grupo da reforma política é instalado e vai receber sugestões pela internet

O projeto não só regulamenta a distribuição das gorjetas em bares, restaurantes, hotéis e estabelecimentos similares, como também estabelece que 20% delas devem ser destinadas à aposentadoria dos garçons.

Também participaram das negociações, o relator da matéria na Comissão de Assuntos Econômicos, senador Lindbergh Faria (PT-RJ), que defendeu a complementação na aposentadoria. Segundo ele, a gorjeta representa grande parte da renda da categoria e a aposentadoria baseada apenas no salário registrado acaba significando uma perda importante para o orçamento familiar.

Para evitar perdas na renda dos garçons, Lindbergh disse que pretende incluir as gorjetas dos garçons entre as previsões da Medida Provisória (MP) 597, que está em tramitação no Congresso e trata de desonerações tributárias. “Conseguimos construir um acordo. Através da MP vamos desonerar PIS e Cofins das gorjetas”, disse.

O autor do projeto, senador Paulo Paim (PT-RS), confia na votação rápida no plenário assim que os senadores voltarem ao trabalho. Segundo ele, o projeto “não traz prejuízo” a ninguém e será importante para a aposentadoria integral dos garçons.

Leia tudo sobre: garçongorjeta

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas