Lula pede cautela em definição de candidatura no Rio de Janeiro

Por Luciana Lima - iG Brasília |

compartilhe

Tamanho do texto

Embora o cenário aponte para um enfraquecimento do governador Sérgio Cabral após protestos, Lula aconselhou Lindbergh Farias a esperar por apoio

Embora não faça segredo de sua intenção de se candidatar ao governo do Rio de Janeiro, o senador Lindbergh Farias (PT) foi aconselhado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a esperar para botar o bloco na rua.

As manifestações ocorridas em julho sacudiram o já conturbado cenário político do Rio de Janeiro e, na visão de Lula, ainda é cedo para saber como ficará a relação do PT local com o governador Sérgio Cabral (PMDB), que insiste na ideia de fazer de seu vice, Luiz Fernando Pezão, seu sucessor. Cabral foi o principal alvo dos manifestantes.

Leia também: Presidente do PT garante apoio do partido à candidatura de Lindbergh no Rio

José Cruz/ABr
O senador Lindbergh Farias (PT-RJ)

Lindbergh conversou com Lula no fim de semana, em São Paulo. Colocou sua impressão de ter saído fortalecido após os protestos. Na reunião da executiva do PT, ocorrida uma semana antes do encontro, obteve do presidente do partido, Rui Falcão, a intenção de apoio a sua candidatura.

Enquanto não se resolve a questão com o PMDB, Lindbergh se movimenta “mais à esquerda”, procurando conversas com o PSOL e até com o ex-deputado Fernando Gabeira (PV).

Parte do PT local avalia que, para ter o PV na coligação, valeria a pena ceder a ele a possibilidade de candidatura ao Senado. As primeiras conversas com o líder do PV já foram feitas sem, no entanto, chegar a um compromisso.

No caso do PSOL, o partido é visto com grande potencial para lançar uma candidatura no Rio de Janeiro capaz de encarnar a chamada “voz das ruas”. Esse potencial é que tem motivado o PT fluminense a buscar diálogo com o partido, formado na origem, por dissidentes petistas insatisfeitos com a condução das reformas no início do governo Lula.

No Rio, o PSOL conseguiu construir nomes como o do deputado estadual Marcelo Freixo, que está em seu segundo mandato angariou 28,15% dos votos válidos na disputa pela prefeitura em 2012. Com esse percentual, Freixo ficou em segundo lugar na eleição vencida no primeiro turno pelo prefeito Eduardo Paes (PMDB), da qual participaram oito candidatos. Paes obteve 64,60% dos votos.

A candidatura de Lindbergh ainda enfrenta resistências internas já que parte do PT local defende a permanência do partido nos cargos do governo estadual e municipal. Atualmente, o PT ocupa a secretaria de Meio Ambiente, com Carlos Minc, e a Secretaria de Ação Social, com André Teixeira. Além disso, o PT tem o vice-prefeito da capital fluminense, Adilson Pires, e mais quatro secretarias na administração de Eduardo Paes.

Leia tudo sobre: RioCabral2014Lindbergh

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas