Presidente do PT diz que partido está preparado para governar São Paulo

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo Edinho Silva, PT é o único partido capaz de debater o que foi colocado nos manifestos das ruas

Agência Estado

O presidente do PT de São Paulo, deputado Edinho Silva, diz que o partido nunca esteve tão preparado para quebrar a hegemonia de quase 20 anos de poder dos tucanos e conquistar o comando do governo de São Paulo, nas eleições gerais do ano que vem.

Leia também:
Líder do PSB nega que Eduardo Campos irá ser vice de Lula
Deputado tenta ressuscitar PEC que limita atuação do Ministério Público

A afirmativa é resultado da avaliação que ele faz da maratona de caravanas que a sigla fez em todo o Estado, desde abril, percorrendo 20 macrorregiões. Para celebrar o encerramento desse périplo, o PT realizou no sábado (13) sua plenária, no Sindicato dos Químicos, na Capital.

Para Edinho, essas caravanas são uma forma do partido apresentar à sociedade local suas propostas para áreas essenciais, como saúde, transporte, educação e segurança. "O PT saiu vitorioso nas eleições de São Paulo, ganhou 71 prefeituras e fez 666 vereadores em 320 cidades, além de ganhar a prefeitura da Capital. Não tenho dúvida, o PT nunca esteve tão preparado para ganhar o governo de São Paulo", destacou.

AE
Otimismo é resultado da avaliação que ele faz da maratona de caravanas que a sigla fez no Estado

Segundo o dirigente estadual, a ideia é que essas caravanas sirvam de base para a formulação de um programa de governo regionalizado que contemple as reivindicações da sociedade local.

Ele destaca a importância desse tipo de iniciativa, lembrando que o PT realizou caravanas em 2009 e 2011 e que "o diálogo com o interior foi fundamental para o resultado das eleições municipais de 2012", que levaram o petista Fernando Haddad para o comando da Prefeitura da Capital.

"As manifestações não foram nada demais", diz sociólogo

Aliado ao material que a sigla colheu dessas caravanas, Edinho destaca que o PT está atento também às reivindicações das chamadas 'vozes da ruas', que protestaram em todo o País no mês passado.

"As manifestações de junho foram históricas para o Brasil e oferecem muitas lições a todos os políticos e instituições", diz ele, argumentando que o PT é o único partido capaz de debater com a sociedade o que foi colocado nos manifestos das ruas, "porque ninguém fez tanto para combater as desigualdades sociais no País como o Partido dos Trabalhadores".

O prefeito da Capital, Fernando Haddad, que também participou da plenária de ontem, destacou em seu pronunciamento que vai cumprir o programa de governo que apresentou durante sua campanha, argumentando que realiza uma gestão política transparente na Prefeitura.

"Vamos abrir todas as contas do município para a sociedade", prometeu. E defendeu também a abertura das contas das empresas que prestam serviços ao setor público, para que haja total transparência em relação aos gastos públicos.

Ao falar da criação do Conselho do Transporte Pública na cidade e da defesa que faz do subsídio para o transporte público, "antes mesmo das manifestações", Haddad alertou para a necessidade de uma fonte para a receita do subsídio, para que não ocorra o que aconteceu com a saúde, que perdeu cerca de R$ 40 bilhões com o fim da CPMF.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas