Ministério da Defesa tem 30 dias para responder ao requerimento com detalhes do transporte de autoridades em aviões da Força Aérea

Agência Estado

A Mesa Diretora do Senado aprovou nesta quinta-feira o pedido do líder do PSDB no Senado, Aloysio Nunes Ferreira (SP), para que o ministro da Defesa, Celso Amorim, detalhe informações de transporte de autoridades e demais passageiros em aviões da Força Aérea Brasileira (FAB). Amorim tem 30 dias para responder ao requerimento. Segundo o pedido do tucano, nos últimos dias a imprensa divulgou "a malversação do uso do dinheiro público em mais uma modalidade de serviço público".

Leia também: 

Jorge Hage propõe mudar decreto sobre uso de avião da Força Aérea

Renan Calheiros diz que vai devolver R$ 32 mil por uso de avião da FAB

FAB diz que Renan e Henrique Alves alegaram que viagens seriam a serviço

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) e o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN)
Antonio Cruz/ABr
O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) e o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN)

Aloysio Nunes Ferreira pede que o ministério responda a sete perguntas. Entre elas, quantos voos com aviões da FAB foram realizados com base no Decreto 4.244/2002 (que disciplina o uso de aeronaves oficiais), quais os destinos e quais autoridades estiveram nesses voos.

Na segunda-feira, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), avisou que apoiaria o pedido do tucano. "Quero, de pronto, dizer que eu defendo e apoio a aprovação do requerimento", disse Renan, ao lê-lo em plenário. Renan se valeu de um avião da FAB para ir ao casamento da filha do líder do PMDB na Casa, Eduardo Braga (AM).

No semana passada, quando foi divulgada a viagem, Renan avisou que não iria devolver os recursos, mas, um dia depois, decidiu restituir R$ 32 mil aos cofres públicos decorrentes do voo de ida e volta para o evento ocorrido no litoral baiano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.