Protestos pioram avaliação de governadores e prefeitos do Rio e SP, diz pesquisa

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Aprovação de Alckmin, Haddad, Cabral e Paes despencou nas últimas semanas após onda de manifestações

Agência Estado

A onda de protestos no Brasil abalou os índices de aprovação dos governadores dos dois maiores Estados do País: Geraldo Alckmin (PSDB), de São Paulo, e Sérgio Cabral (PMDB), do Rio, segundo a pesquisa Datafolha publicada nesta segunda-feira (01) no jornal Folha de S. Paulo. As manifestações também atingiram as aprovações dos prefeitos Fernando Haddad (PT) e de Eduardo Paes (PMDB).

Governo federal: Aprovação a governo Dilma cai e fica em 30%, aponta Datafolha

Futura Press
Manifestantes protestam na avenida Paulista, em São Paulo

Com base em uma pesquisa do Datafolha finalizada na última sexta-feira (29), a aprovação de Alckmin caiu 14 pontos no intervalo de três semanas. Os 52% de avaliação positiva em 7 de junho, pouco antes do início dos protestos, caíram para 38% na pesquisa recente.

Já o índice de aprovação de Haddad caiu 16 pontos porcentuais em três semanas, de 34% para 18%. A reprovação do prefeito de São Paulo, que soma as avaliações ruim e péssimo, subiu de 21% para 40%.

No Rio, o governador Sérgio Cabral perdeu 30 pontos porcentuais de sua aprovação. O político do PMDB obteve 25% de avaliações ótimo e bom, a menor pontuação da série em seus seis anos e meio de mandato. A soma de ruim e péssimo ficou em 36%. O índice de aprovação de Eduardo Paes, por sua vez, caiu de 50% para 30%. A desaprovação subiu de 12% para 33%.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas