Padilha ao iG: 'Quem sabe um dia eu possa ser candidato ao governo de SP'

Por Clarissa Oliveira e Priscilla Borges - iG Brasília | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Cotado para representar o PT em 2014, ministro diz'não ter pressa' de viabilizar projeto de comandar governo

Embora ainda evite se colocar abertamente como candidato ao governo de São Paulo, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, deixou claro em entrevista ao iG que enxerga no Palácio dos Bandeirantes um possível futuro político. Tido como um dos representantes da nova geração de quadros petistas, o ministro diz não ter "pressa" para concretizar o plano.

Entrevista ao iG:
'Congresso foi sensível à questão da saúde ao votar royalties'
'Atração de médicos estrangeiros não pode ser tabu no Brasil'

iG Brasília
O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, concede entrevista ao iG

"Quem sabe um dia eu possa ser (candidato ao governo de São Paulo)", afirmou Padilha, brincando que pode esperar até 20 ou 30 anos para que isso aconteça. "Eu tenho uma vantagem, é que eu não tenho pressa. Se tem alguém que não tem pressa para isso, sou eu. Tenho 41 anos de idade", completou.

Padilha figura atualmente no topo da lista de nomes para representar o PT no maior colégio eleitoral do país. Ele ganhou força dentro da legenda após o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, declarar publicamente que não pretende disputar a vaga.

Poder Online: Padilha reforçará encontro do governo com prefeitos

No páreo, são citados ainda nomes como o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, contra quem joga a falta de apoio interno para encarar a disputa. Também chegou a ser ventilado o nome do ministro da Fazenda, Guido Mantega. Mas, segundo líderes da legenda, a perspectiva de um ano difícil na área econômica acabou jogando água nas especulações.

Líderes do PT ouvidos pelo iG dão como praticamente certa a indicação de Padilha para a disputa. O ministro já iniciou, por exemplo, incursões pelo interior de São Paulo, num esforço para se tornar mais conhecido do eleitorado.

Assista a trecho da entrevista:

Mais: 'Reza, torce muito', diz Padilha ao ser questionado sobre candidatura

A movimentação conta até mesmo com o reforço de outro cotados para a vaga, o prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho, que chegou a emprestar sua estrutura de assessores para ajudar a organizar atos com Padilha no interior paulista.

Há algum tempo, a falta de uma marca na gestão de Padilha na Saúde era tida como um dos principais entraves à candidatura. A aposta agora se apoia no projeto desenvolvido pelo ministério para suprir a falta de médicos no Brasil. A ideia, segundo colegas de partido do ministro, teve um reforço ainda maior nesta semana, com a promessa da presidente Dilma Rousseff de acelerar o programa do Ministério da Saúde para atrair médicos estrangeiros para o Brasil.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas