Objetivo do plano é combater uma das secas mais severas das últimas décadas na região e incluirá ações emergenciais e o equacionamento de dívidas de agricultores

A presidente Dilma Rousseff anunciou nesta segunda-feira que lançará um Plano Safra específico para o semiárido nordestino, região que tem sofrido com uma das secas mais severas das últimas décadas. Em discurso em Natal, onde entregou retroescavadeiras para prefeituras do Rio Grande do Norte, Dilma disse que o Plano Safra do semiárido incluirá ações emergenciais e o equacionamento de dívidas de agricultores da região.

Leia mais: Governo impõe sigilo sobre gastos de Dilma no exterior

Eleições 2014: PMDB ameaça Dilma com apoio a Eduardo Campos em seis Estados

"Nós vamos lançar um Plano Safra do semiárido, só para o semiárido. O Brasil tem Plano Safra da agricultura comercial e tem Plano Safra da agricultura familiar. Agora nós vamos regionalizar o Plano Safra, só para o semiárido nordestino", disse a presidente.

Dilma participa da cerimônia de entrega de máquinas retroescavadeiras no Rio Grande do Norte
Roberto Stuckert Filho/PR
Dilma participa da cerimônia de entrega de máquinas retroescavadeiras no Rio Grande do Norte

"Para garantir que a cada vez que a seca ocorre, as pessoas não percam sua criação, não tenham do que viver e o governo federal não tenha de, na entressafra, de importar do sul do País, da Argentina e do Uruguai, milho para abastecer os animais aqui do Nordeste", disse.

O governo anuncia na terça-feira o Plano Safra para a temporada 2013/14 em cerimônia no Palácio do Planalto. Na semana passada, uma fonte do governo federal disse à Reuters que os recursos do novo Plano Safra devem aumentar 21,5% ante o montante destinado na temporada 2012/13, atingindo R$ 140 bilhões.

Segundo Dilma, o plano específico para o semiárido procurará resolver ainda o endividamento dos produtores. "As dívidas também serão equacionadas neste Plano Safra que nós iremos lançar", disse, sem especificar se o Plano Safra para o semiárido também será lançado na terça.

Afagos

Em um momento de dificuldades nas relações com o Congresso Nacional, Dilma aproveitou o discurso para elogiar o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), presente na solenidade. Alves, por sua vez, usou boa parte de seu discurso, para elogiar o "governo republicano" de Dilma.

Alves prometeu apoio dos prefeitos do Estado e pediu um minuto de aplausos para ficar na memória da presidente. "Para que a senhora não se esqueça desse Rio Grande do Norte, que ele penetre sua consciência, seu senso de justiça, sua alma, seu coração para sempre", disse o presidente da Câmara.

Dilma disse ainda que é natural que haja demandas por parte dos governantes. "Prefeito e prefeita que não reivindicam, tem alguma coisa errada", afirmou. 

O anúncio do Plano Safra para o semiárido ocorre também num momento em que Dilma busca reforçar sua presença no Nordeste, região em que teve expressiva votação na eleição presidencial de 2010, assim como já tinha ocorrido com seu antecessor, o também petista Luiz Inácio Lula da Silva.

Com Reuters e Agência Estado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.