Dilma não deve desculpas sobre Bolsa Família, diz Gilberto Carvalho

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Ontem, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) disse que presidente deveria se desculpar por ter ocultado informações sobre o caso

Agência Estado

O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, disse nesta quarta-feira (29) que a presidente Dilma Rousseff não deve desculpas sobre o caso Bolsa Família. O comentário foi uma resposta ao senador tucano Aécio Neves (PSDB-MG), que afirmou ontem (28) que Dilma devia desculpas pelo fato de o governo ter omitido informações sobre a antecipação de pagamentos do Bolsa Família.

Leia mais: Presidente da Caixa pede desculpas por 'imprecisão' sobre Bolsa Família

Investigação: Gravação por telefone é origem de boatos sobre fim do Bolsa Família

"Não vejo razão nenhuma para desculpa. A presidenta não fez nenhuma ilação, a presidenta teve todo cuidado de determinar a investigação do assunto. Eu acho que ela agiu de maneira muito adequada", afirmou Carvalho, após participar de evento no Palácio do Buriti, em Brasília. "Não há da parte da presidenta nenhuma atitude que possa levá-la a pedir qualquer desculpa."

O presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Hereda, e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, admitiram na segunda-feira (27) ter errado ao não dizer desde o início que o dinheiro do programa havia sido liberado antecipadamente para parte dos 13,8 milhões de beneficiários no dia 17 de maio - antes, o pagamento era escalonado no mês, a depender do número final do cartão do programa. No dia seguinte à liberação, em 18 de maio, uma onda de boatos sobre o fim do Bolsa Família levou centenas de pessoas às agências da Caixa. A Polícia Federal investiga o caso e não descarta que o pânico tenha sido motivado por essa antecipação feita sem aviso prévio.

Leia também:

'É absurdamente desumano', diz Dilma sobre boato

PF vai investigar boatos de suspensão do Bolsa Família

No sábado passado, durante visita à Etiópia para participar das comemorações dos 50 anos da União Africana, Dilma Rousseff admitiu que pode haver falhas no programa. "Somos humanos, pode ter tido falhas. O que estou dizendo é o seguinte: não é uma falha tópica que explica (a ida de pessoas a agências da Caixa em) 12 Estados", afirmou. "Não há processo que não tenha falhas."

Oposição

Ontem, o novo presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), disse que a presidente Dilma Rousseff deve um pedido de desculpas ao povo brasileiro pelo episódio recente envolvendo o programa Bolsa Família e a Caixa Econômica Federal. "Creio que, nesse instante, a sra. presidente deve um pedido de desculpa formal a todos os brasileiros", disse, em Brasília, ao lado da nova Executiva do partido. "O grave é falsear a verdade, omitir as informações. Como disse o líder Carlos Sampaio (PSDB-SP), a própria PF (Polícia Federal) já sabia que esses pagamentos haviam sido antecipados (pela Caixa Econômica). Trafegamos durante toda a semana com informação não verdadeira", disse.

Nesta segunda-feira, 27, o governo admitiu erro ao não informar os beneficiários sobre a antecipação da data de saques, que, segundo Jorge Hereda, presidente da Caixa, ocorreu devido a uma imprecisão de informações. Integrantes da gestão Dilma Rousseff admitiram que seguraram por pelo menos quatro dias a informação de que os recursos do programa social foram liberados para saque na véspera da corrida aos bancos, iniciada no dia 18.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas