Campos tem mais coisa na cabeça que Aécio, diz Ciro

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Para o ex-ministro e ex-deputado do PSB, tucano está fadado ao fracasso se copiar o programa do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso para eleições de 2014

Agência Estado

O ex-ministro e ex-deputado Ciro Gomes (PSB-CE) disse que o senador Aécio Neves (PSDB) está fadado ao fracasso se copiar o programa do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso quando disputar a eleição de 2014.

Em entrevista a alunos de uma faculdade de jornalismo, na terça-feira, 21, ele também afirmou que o governador Eduardo Campos (PSB-PE) foi mordido pela "mosca azul", mas que o pernambucano tem "mais coisa na cabeça" que Aécio. Para Ciro, a pré-candidatura de Marina Silva "é vazia".

Leia também:

Fogo amigo contra Eduardo Campos preocupa PSB

Nos planos de Eduardo Campos, PPS e DEM fazem promessa de união a Aécio

Cid Gomes diz que apoio da oposição a Campos não é ‘sincero’

"O pessoal do PSDB vai privatizar o Banco do Brasil? Vai privatizar a Petrobras? Pois essa é a memória que o povo brasileiro tem do Fernando Henrique. Então a falta de ideias, e com estes elementos simbólicos e reacionários, Aécio Neves não vai para canto nenhum", criticou.

Ciro disse que o problema tucano não será resolvido com a ausência de FHC da campanha de Aécio, conforme anunciou o ex-presidente. "FHC é o cara mais arejado que vejo no PSDB. Pelo menos, a última opinião que vi arejada sobre maconha, sobre droga, foi dele, com 81 anos. O problema do PSDB são as convicções erradas. Aécio é uma pessoa sem ideias, sem propostas."

Para Ciro, Campos é mais aplicado politicamente do que Aécio. "Eduardo tem mais coisa na cabeça do que Aécio. Tem mais estrada, mas ideia dele para o Brasil não conheço." Ele voltou a defender a saída do PSB do governo, caso Campos dispute 2014. Disse que a sigla deve deixar a Esplanada "ontem". "Estamos agarrados lá dentro. Acocorados, comendo migalhas do banquete de fisiologia do PMDB com o PT", afirmou.

"Nosso representante no governo, o ministro dos Portos, Leônidas Cristino, só não saiu para não deixar Eduardo no constrangimento", disse. "Nessa tese de entregar cargos, sou solitário. Tem oportunismos: ‘2014 vamos discutir em 2014’. Enganar quem, cara pálida?" 

Leia tudo sobre: Eduardo CamposEleições 2014Ciro Gomes

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas