Senado prorroga sessão até meia-noite à espera da MP dos Portos

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Estratégia dos governistas é manter a sessão aberta para que o texto da medida possa ser lido ainda esta noite pelos senadores; MP perde validade na quinta se não for aprovada

Agência Brasil

O plenário do Senado prorrogou por cinco horas a sessão da noite desta terça-feira (14) para que os senadores aguardem a votação da MP dos Portos, cujo texto principal foi aprovado na Câmara, após tumulto e bate-boca. A estratégia dos governistas é manter a sessão do Senado aberta para que o texto da MP possa ser lido para os senadores ainda esta noite. Com isso, a matéria poderá ser publicada no Diário do Senado de amanhã (15), possibilitando a votação da MP no Senado ainda nesta quarta-feira (15).

Leia mais: Câmara aprova texto principal da MP dos Portos

Poder Online: Caiado chama Garotinho de ‘chefe de quadrilha’ e ‘frouxo’

TViG: O peemedebista Eduardo Cunha joga contra interesses do Planalto

A MP dos Portos perderá a validade na quinta-feira (16) e, por isso, precisa ser votada na Câmara e depois no Senado sem alterações até esta data. Mais cedo, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), voltou a afirmar que fará um esforço para possibilitar a votação, mas alertou que não fará “o que não for possível”.

“É evidente que o que for possível fazer nós faremos porque essa medida provisória é de interesse do País, mas nós não vamos fazer o que não for possível. Se esta Casa entender que não há como apreciar a MP, é evidente que nós não vamos apreciá-la porque se há uma coisa que não pode continuar é a Câmara dos Deputados mandar uma medida provisória faltando dois dias para ser estudada e votada pelo Senado Federal”, disse Renan aos demais senadores.

Negociação: Governo cede na Câmara e agora articula MP dos Portos no Senado

A MP 595 amplia a possibilidade de implementação de portos privados no país. Ela é polêmica porque tem posto em oposição empresários, que consideram necessária maior oferta de terminais para escoamento da produção agrícola e industrial, e trabalhadores, que têm receio de que as novas regras tornem mais precárias as relações de trabalho nos portos.

Leia tudo sobre: mp dos portos

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas