'Quero ter mais cargos', diz Serra ao sinalizar disposição de ficar no PSDB

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Em discurso na Convenção Estadual do partido, o ex-governador de São Paulo fez críticas ao governo federal, dizendo que o Estado brasileiro "foi capturado" pelo PT

Agência Estado

Renato S. Cerqueira/Futura Press
Serra chegou quando os líderes discursavam e saiu antes do término das votações, sem falar com a imprensa

O ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) sinalizou neste domingo (5), em discurso na Convenção Estadual do PSDB paulista, a disposição de continuar participando do partido. "Já tive muitos cargos na minha vida e quero ter ainda mais", declarou. Serra citou a presidência da executiva estadual e depois a liderança da legenda no Senado.

Leia também:
Serra diz que apoiaria Aécio para a presidência do PSDB
Freire faz apelo a Serra para que acelere decisão sobre saída do partido
Sem Serra e com Alckmin, Aécio é aclamado em evento do PSDB em SP

"O mais difícil foi ser presidente estadual do PSDB e abdicar depois para ser líder no Senado", afirmou. Serra chegou à Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) quando os líderes discursavam e saiu antes do término das votações, sem dar declarações.

Duarte Nogueira é eleito presidente do PSDB de São Paulo

No discurso, ele fez críticas ao governo federal, dizendo que o Estado brasileiro "foi capturado" pelo PT. "Hoje, o País está patinando, paralisado, porque o governo se rendeu a um projeto de poder com uso desproporcional da máquina pública", disse. 

Serra definiu a gestão Dilma Rousseff como "dois anos de perplexidade da herança que recebeu de Lula". De acordo com o ex-governador de São Paulo, o Poder Executivo federal possui projetos "alucinados", como o trem-bala.

Leia tudo sobre: POLÍTICAJosé SerrapresidênciaPSDBAécio Neves

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas