Fator 'Bernardinho' afasta DEM e PSDB no Rio

Por Brasil Econômico - Pedro Venceslau | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Aécio Neves convidou treinador para disputar governo do Rio de Janeiro no ano que vem

Brasil Econômico

O vitoriso ex-técnico da Seleção Brasileira de Vôlei Bernardinho foi parar no centro do tabuleiro político do Rio Janeiro para as eleições de 2014. Ele recebeu do amigo e senador tucano Aécio Neves um convite para se filar ao PSDB e concorrer ao governo do estado no ano que vem. “Queremos construir um palanque tucano para o Aécio no Rio. O treinador foi consultado e ficou de dar uma resposta em breve”, disse à coluna o deputado federal Otávio Leite, um dos principais dirigentes do tucanato fluminense.

Leia também: 

Por Dilma, PT nacional vai intervir nas alianças estaduais

Após convenção tucana, Aécio dará inicio a montagem de palanque nos Estados

Vippcomm
O ex-técnico da seleção brasileira de volêi, Bernadinho

Essa inusitada opção surgiu da absoluta falta de quadros competitivos da sigla para a disputa do ano que vem, que deve ser fragmentada em pelo menos quatro candidaturas teoricamente fortes: Lindberg Farias (PT), Luís Pezão (PMDB), Antony Garotinho (PR) e César Maia (DEM). O surpreendente movimento dos tucanos criou uma zona de atrito com o DEM, que esperava contar com o PSDB no palanque de César Maia.”A aliança com o PSDB seria natural, mas a eleição no Rio está em aberto”, diz o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O parlamentar, que é filho do ex-prefeito e disputou a prefeitura da capital no ano passado, é o mais ardoroso defendensor que o DEM embarque logo no projeto presidencial de Aécio Neves. “Estamos no projeto dele”, afirma.

Já o senador José Agripino, presidente nacional da legenda oposicionista, resiste em selar um acordo e defende que o DEM dialogue também com o governador Eduardo Campos (PSB) e com a ex-ministra Marina Silva (Rede). “A relação do DEM com o Aécio é boa, mas não existe compromisso. Dentro do partido há quem defenda o diálogo com outras candidaturas”, afirma o senador.

Em relação ao Rio de Janeiro, ele diz que “admite a hipótese” de uma aliança com PSDB em torno de César Maia. “A tendência é natural é o PSDB apioar o DEM onde somos fortes e vice-versa”. O deputado tucano Otávio Leite pondera. "A candidatura governista (Dilma) terá palanques no Rio. A oposição pode muito bem ter dois".

Leia tudo sobre: PSDBEleições 2014Rio

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas