Nova legenda soma 13 deputados federais, 58 estaduais, 147 prefeitos e 2.527 vereadores

Agência Estado

O PPS aprovou sua fusão com o PMN em congresso extraordinário, realizado nesta quarta-feira (17). O novo partido deverá se chamar Mobilização Democrática (MD) e será referendado nesta tarde, também em congresso extraordinário das duas siglas. O novo partido fará oposição ao governo federal.

Delegados do PPS se reúnem em congresso para criar nova sigla
Alan Sampaio / iG Brasília
Delegados do PPS se reúnem em congresso para criar nova sigla

Leia também:

Freire: ‘PPS não tem perspectiva de candidatura de Serra’

PPS aprova fusão com PMN e corre contra o tempo para criar novo partido

A tendência é que o Mobilização Democrática se junte às forças que vão dar sustentação à candidatura do governador pernambucano Eduardo Campos (PSB), se este decidir disputar a sucessão da presidente Dilma Rousseff em 2014. A nova legenda soma 13 deputados federais, 58 estaduais, 147 prefeitos e 2.527 vereadores. Em todo o Brasil são 683.420 filiados.

Protesto: Rede e PPS reagem a restrição à criação de partidos

As reuniões decisivas dos dois partidos foram feitas às pressas, para que a nova legenda possa ser registrada antes da votação, pelo Congresso Nacional, de projeto de lei que retira das agremiações que surgirem o tempo de TV e o fundo partidário.

O presidente do MD será o deputado Roberto Freire (SP), presidente do PPS. O secretário-geral será o deputado Rubens Bueno (PR), líder do PPS na Câmara. O PMN indicará o tesoureiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.