Último ministro do STF entrega voto por escrito do julgamento do mensalão

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Celso de Mello liberou o voto que faltava e agora a expectativa é que o acórdão seja publicado esta semana; defesa terá cinco dias para recorrer

Agência Brasil

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello liberou nesta segunda-feira (8) seu voto por escrito no julgamento do mensalão. Ele era o único integrante da Corte que ainda estava revisando suas considerações. Agora, a expectativa é que o acórdão seja concluído em dois ou três dias úteis.

Mensalão: Defesa irá ao STF para provar que não houve dinheiro público

O ministro terminou a revisão do voto na última sexta-feira (5) e fez mais uma conferência hoje, mas não divulgou o número de páginas. Ele informou, por meio da assessoria de imprensa do STF, que demorou para concluir sua parte porque foi um dos que mais intervieram no julgamento, depois do relator Joaquim Barbosa e do revisor Ricardo Lewandowski.

Ainda segundo a assessoria do STF, o acórdão agora será montado pela Secretaria Judiciária do STF, etapa que deve levar de dois a três dias úteis. O acórdão reúne as principais decisões do julgamento, além de votos e intervenções orais de todos os ministros. Somente após a publicação do acórdão, as sentenças podem ser executadas ou as partes podem recorrer.

Leia mais: STF rejeita ampliar prazo para recurso do mensalão

Especial do iG: Veja as penas dos 25 condenados no mensalão

Leia todas as notícias sobre a cobertura do julgamento no STF

O recurso deve ser apresentado em até cinco dias úteis. Incomodados com o prazo restrito para analisar o acórdão, vários advogados acionaram o STF para conseguir mais tempo, mas todas as solicitações foram negadas pelo relator Joaquim Barbosa. Agora, eles querem que o plenário do Supremo analise os pedidos.


compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas