Ana Rita (PT-ES), presidente da Comissão de Direitos Humanos do Senado, afirma que deputado “instiga preconceito, racismo, homofobia e intolerância”

A presidente da Comissão de Direitos Humanos e Participação Legislativa (CDH) do Senado, senadora Ana Rita (PT-ES), fez duras críticas ao deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) nesta quarta-feira (3). Ela definiu como “graves” e “destrutivas” as afirmações do presidente Comissão de Direitos Humanos da Câmara. “São declarações e atitudes que instigam o preconceito, o racismo, a homofobia e a intolerância. Todas absolutamente incompatíveis e inadequadas para a finalidade do Poder Legislativo”, afirmou.

Leia também:

“Estou traumatizado”, diz Feliciano

Maioria da Comissão de Direitos Humanos defende renúncia de Feliciano

Maioria dos líderes partidários defende renúncia de Feliciano

A senadora se mostrou solidária às manifestações a favor da renúncia de Feliciano por “toda liderança (política), entidade, segmento ou cidadão que se sentir agredido”. Ela afirmou que se manteve em silêncio até agora por respeitar a Câmara, mas a afirmação de que a comissão foi dominada por “Satanás” a fez romper o silêncio.

Vídeo: Feliciano diz que Comissão de Direitos Humanos era dominada por ‘satanás

Ana Rita considera que os trabalhos da comissão presidida por Feliciano estão ameaçados. Ela sugeriu que iniciativas da sociedade civil migrem para o Senado, onde ela encaminharia o trâmite. “Considero que o quadro atual da Comissão de Direitos Humanos da Câmara é de extrema gravidade, pois coloca em sérios riscos a ação de uma instituição de alta importância para os avanços da democracia e dos direitos humanos”, disse.

Com Agência Senado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.