Henrique Eduardo Alves disse que se reuniu com os dois grupos do órgão de Direitos Humanos da Casa após briga e tumulto na primeira sessão do pastor Marco Feliciano

O presidente da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), fez nesta quinta-feira (14) um apelo para que os membros da Comissão de Direitos Humanos e Minorias tenham “equilíbrio” e “responsabilidade” para superar a polêmica em torno da eleição do deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) à presidência do colegiado.

Deputado do PT: 'Bolsonaro fez um xingamento e eu me irritei com isso'

Assista: Deputados brigam e quase trocam tapas na Comissão de Direitos Humanos

Leia mais: Pastor Feliciano preside sessão tensa com bate-boca e tumulto

Deputados quase saem no tapa na primeira sessão de Feliciano na Comissão de Direitos Humanos
Agência Brasil
Deputados quase saem no tapa na primeira sessão de Feliciano na Comissão de Direitos Humanos

Ontem, a primeira sessão de Feliciano foi marcada por bate-boca e tumulto . Dois deputados quase saíram no tapa. Jair Bolsonaro (PP-RJ) irritou Domingos Dutra (PT-AM), o antecessor na comissão, quando se dirigiu à deputada Erika Kokay (PT-DF). O deputado do PP carioca disse para Érica “fechar a boquinha que fala muito”. Bolsonaro também teria chamado Dutra de “bundão”.

Henrique Alves classificou como “lamentável” a sessão. “Pedi aos grupos representados [na comissão] ponderação, equilíbrio e responsabilidade. Vamos aguardar os próximos dias para que isso realmente possa acontecer nessa comissão que é muito importante para esta Casa”, disse Henrique Alves ao lado do pastor Marco Feliciano e do líder do PSC, deputado André Moura (SE).

Leia também:

Sob protestos do PT e PSOL, Pastor Feliciano é eleito presidente da Comissão

Mesmo sob pressão, Feliciano diz que fica na Comissão de Direitos Humanos

PT e PSOL contestam no STF Feliciano na Comissão de Direitos Humanos

“Fiz ver, a ambos os grupos, a preocupação desta Casa com a Comissão de Direitos Humanos para que ela possa ter um comportamento de equilíbrio, moderação e responsabilidade, porque ela há de representar também o comportamento desta Casa”, acrescentou o presidente da Câmara.

O deputado Pastor Marco Feliciano tem recebido críticas por ter feito comentários ofensivos a homossexuais e negros. Ontem (13), ele pediu desculpas públicas a quem se sentiu ofendido pelos seus comentários nas redes sociais. O pedido, no entanto, não foi bem recebido por manifestantes defensores dos direitos dos homossexuais que acompanharam a sessão.

Com Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.