Gurgel diz que demora em prisões do mensalão coloca julgamento em dúvida

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, cobrou que condenados devem ser presos e que os réus deputados sejam cassados

Agência Brasil

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, voltou a cobrar hoje (11) a prisão dos condenados no processo do mensalão. Segundo ele, a demora na execução das sentenças abala a credibilidade do julgamento realizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no ano passado.

Votos: Cinco ministros já concluíram acórdão do mensalão

"É preciso que aquelas pessoas condenadas a penas privativas de liberdade tenham mandados de prisão expedidos e sejam recolhidas à prisão, a exemplo do que acontece com as pessoas pobres que são recolhidas à prisão”, disse Gurgel, durante entrevista coletiva nesta tarde. Ele também cobrou outros efeitos das condenações, como a perda de mandato parlamentar.

O STF condenou 25 dos 37 réus, sendo que 11 deles devem cumprir regime inicialmente fechado. Neste momento, a tribunal se dedica à preparação do acórdão, que reúne as principais decisões tomadas. Só após a publicação do acórdão as partes podem recorrer. As sentenças são executadas quando não houver mais possibilidade de recurso.

Especial do iG: Veja as penas dos 25 condenados no julgamento do mensalão

Leia todas as notícias sobre o julgamento no STF

Gurgel acredita que o acórdão deve ser publicado até abril, o que permitiria que as sentenças fossem cumpridas ainda este ano. "Achávamos que os encastelados no poder não poderiam ser alcançados. [O julgamento] deixou essa grande esperança, mas é preciso que essa esperança se concretize. E vai se concretizar apenas com a execução das penas pelo Supremo Tribunal Federal".

Leia tudo sobre: mensalãogurgelSTFSupremo

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas