O governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB afirmou ser contrário à antecipação do calendário eleitoral e que o PSB não trabalha com o 'relógio dos outros'

Agência Estado

O governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos , alertou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva , que lançou a candidatura da presidente Dilma à reeleição, sobre o perigo de uma antecipação do debate sucessório.

Ex-presidente: Lula diz que candidatura de Campos seria 'risco' à aliança PT e PSB

Acordos: PTB negocia governo de Pernambuco em troca de apoio a Campos em 2014

"Nunca vi quem está no governo, sobretudo quem está no governo com situação de dificuldade, antecipar o calendário eleitoral", afirmou em entrevista nesta sexta-feira, no Recife. "Nunca vi isso dar certo." Ele fez o comentário ao ser indagado se o ex-presidente estava errado ao tomar tal iniciativa. "Esta resposta já coloquei, quando acho que 2013 não é ano de se estar montando palanques, mas de se montar canteiro de obras, de se animar a economia, unir o País."

Leia também: Ciro critica Campos, mas governador de Pernambuco evita polêmica

Socialistas: Candidatura de Campos dependerá de desempenho de Dilma

O governador disse respeitar quem pensa diferente, mas garantiu não se sentir pressionado a definir se é ou não candidato à presidência da República em 2014. "O relógio do PSB trabalha no fuso horário do PSB", destacou. "Não vamos trabalhar com o relógio dos outros, com o tempo dos outros e nem fazer o jogo dos outros. Vamos fazer o jogo do Brasil e o jogo do PSB."

"Entendemos e isso falei para a presidente Dilma, já neste ano, em duas oportunidades, com total transparência, clareza, sem nenhum tipo de subterfúgio: este momento carece de todas as forças responsáveis do País, um olhar responsável para ganharmos 2013, uma atitude de buscar convergência no Brasil e vamos deixar para 2014 um debate que o País vai fazer de forma natural."

Saiba mais: Lula age para evitar aproximação de Eduardo Campos com Aécio

Festa do PT: Lula ironiza tucanos, exalta base aliada e diz que reelege Dilma

Campos defendeu que o debate político no Brasil deve ser feito "de maneira elevada", num ano desafiador que se tem pela frente. "Precisamos ter racionalidade, tranquilidade, para não desfazer o que fizemos nos últimos 20 anos neste País. É isto que precisamos ter", frisou.

    Leia tudo sobre: Lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.