Assembleia do Ceará segue Congresso e propõe acabar com 14º e 15º salários

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Projeto será submetido ao plenário da Casa e se baseia numa lei que estabelece que os deputados estaduais devem receber 75% de tudo o que os federais ganham

A Assembleia Legislativa do Ceará (AL-CE) deve seguir o exemplo do Congresso e acabar com os 14º e 15º salários pagos aos 46 deputados estaduais. O presidente da Assembleia Legislativa, deputado José Albuquerque (PSB), anunciou nesta quinta-feira que vai apresentar um projeto de resolução para que os parlamentares não recebam mais os subsídios extras. A proposta vai ser submetida, em seguida, ao plenário.

Em Brasília: Câmara aprova fim de 14º e 15º salários pagos a deputados e senadores

"Esses subsídios são pagos, na verdade, a título de ajuda de custo aos deputados para cobrir despesas como as daqueles parlamentares oriundos do interior do Estado, que vêm residir na Capital. O que foi decidido ontem no Congresso Nacional irá, sem dúvidas, ser seguido também pela Assembleia Legislativa do Ceará", disse José Albuquerque. O deputado explicou que a mudança já valerá a partir deste ano depois que for aprovada e oficializada.

A decisão é baseada em uma lei que estabelece que os parlamentares estaduais devem receber até 75% de tudo o que os deputados federais ganham. "Como eles não vão mais receber, automaticamente não receberemos também aqui", acrescentou o presidente da AL-CE. Com isso, os 46 deputados cearenses só receberão dois subsídios extras, no início e no fim do mandato parlamentar.

Com Agência Estado

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas