Lula diz que FHC deveria 'ficar quieto'

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Ex-presidente rebate o antecessor tucano e sugere que ele contribua para que Dilma governe bem o País; ontem, FHC chamou a presidente de 'ingrata' que 'cospe no prato em que comeu'

Agência Estado

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva rebateu nesta terça-feira as críticas do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que nesta segunda (25) chamou a presidente Dilma Rousseff de "ingrata". "Eu acho que o Fernando Henrique Cardoso deveria, no mínimo, ficar quieto", respondeu Lula durante o lançamento do livro do jornalista Mino Carta, em uma livraria de São Paulo.

Leia mais: FHC diz que Dilma é 'ingrata' e 'cospe no prato em que comeu'

Para Lula, FHC deveria contribuir para que Dilma continue "governando bem" o País. "Acho que ele não deveria falar. O que ele deveria é contribuir para a Dilma continuar a governar o País bem, ou seja, deixa ela trabalhar. Ela sabe o que faz. Não é todo dia que o País elege uma mulher presidente", acrescentou o petista.

Festa do PT: Lula ironiza tucanos, exalta base aliada e diz que reelege Dilma

Oposição: Aécio inaugura ofensiva contra tom de campanha para reeleger de Dilma

Ontem, em evento do PSDB em Belo Horizonte, FHC afirmou que Dilma é "ingrata" e que "cospe no prato em que comeu". Ele se referia às declarações de Dilma de que o governo petista, iniciado com Lula, "não herdou nada" da gestão tucana. "O que a gente pode fazer quando a pessoa é ingrata? Nada. Cospe no prato em que comeu", declarou, ao ser questionado sobre as declarações de Dilma em evento de comemoração de dez anos de gestão petista no governo federal.

O ex-presidente ainda afirmou que o PT "usurpou" o projeto tucano que começou a ser implantado em seus mandatos. "O que aconteceu no Brasil foi usurpação de projeto. Só que como ele é usurpado, não faz direito. Vai e vem, recua, não tem coragem de dizer que vai privatizar", disparou.

Sobre a possível candidatura do senador Lindbergh Faria (PT-RJ) à sucessão do governador Sérgio Cabral (PMDB), Lula desconversou. "Gente, como é que eu vou saber? Eu não acompanho nem a política do Estado de São Paulo. Eu, depois que deixei a Presidência, parei de acompanhar a política", afirmou.

Leia tudo sobre: lulafhcfernando henrique cardosodilma rousseffeleições 2014psdbpt

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas