Vereador contraria PT e pode ser punido por assumir secretaria em Campinas

Por Ricardo Galhardo , iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Cúpula do partido é contrária à participação do petista na prefeitura; atual prefeito Jonas Donizete, do PSB, derrotou o candidato petista Márcio Pochmann na disputa

O diretório municipal do PT de Campinas se reúne neste sábado para definir o destino do vereador Jaírson Canário, que assumiu a Secretaria Municipal de Trabalho no governo Jonas Donizete (PSB) contrariando determinação do partido.

Relembre: Escândalo frustra planos do PT em Campinas

Eleições em Campinas: Jonas Donizete vence petista e é eleito prefeito de Campinas

As direções municipal, estadual e nacional são contra a participação do PT no governo Donizete. Na eleição do ano passado o atual prefeito derrotou o candidato do PT à prefeitura, Márcio Pochmann. Apesar da derrota eleitoral, o desempenho do candidato, que saiu de 1% nas pesquisas e chegou ao segundo turno, foi considerada uma vitória política do PT. Hoje Pochmann preside a Fundação Perseu Abramo, posto importante na hierarquia petista.

Na tarde de sexta-feira Donizete telefonou pessoalmente para o presidente nacional do PT, Rui Falcão, e foi informado de que a decisão cabe à direção municipal. No entanto, segundo o iG apurou, as posições pessoais tanto de Falcão quando do presidente estadual do PT, Edinho Silva, são contra a participação do PT no governo Donizete.

Canário e seus aliados internos, entre eles o ex-deputado estadual e ex-presidente da Ponte Preta Sebastião Arcanjo, podem ser punidos até com a expulsão do partido.

Detalhe: no ano passado, Arcanjo pediu que o então líder do governo da presidente Dilma Rousseff na Câmara, Cândido Vacarezza, fosse levado à Comissão de Ética do PT paulista por ter indicado um secretário no governo de Pedro Serafim (PDT), ex-presidente da Câmara de Vereadores que assumiu a prefeitura no lugar do petista Demétrio Vilagra, afastado depois de um processo de impeachment comandado por ele próprio.

Canário e seus aliados não foram encontrados para comentar o assunto.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas