Previsão inicial era de que grupo concluísse a análise dentro de 30 dias, mas o prazo acabou esticado para mais 10 dias, contagem que terminou no último fim de semana

Agência Estado

Instalada pelo Palácio do Planalto como resposta aos desdobramentos da Operação Porto Seguro, a Comissão de Sindicância Investigativa voltada para a apuração de irregularidades protocolou na Secretaria Executiva da Casa Civil o relatório com a conclusão dos trabalhos.

A operação da Polícia Federal desmantelou uma quadrilha infiltrada no alto escalão do governo que negociava a compra de pareceres técnicos.

Novembro:  Dilma decide demitir chefe de gabinete em SP e outros indiciados pela PF

Chefe de gabinete:  Gilberto Carvalho nega ter recebido ligações de Rosemary Noronha

A previsão inicial era de que o grupo, criado no final de novembro, concluísse a análise dentro de 30 dias, mas o prazo acabou esticado para mais 10 dias - contagem que terminou no último final de semana.

Segundo informou a Casa Civil, o passo seguinte é a análise do relatório pela Subchefia para Assuntos Jurídicos da Presidência da República.

Leia mais:  Carvalho diz que e-mails de Rosemary não complicam situação de Lula

A lei 8.112, que trata do regime jurídico dos servidores públicos federais, prevê que a sindicância poderá resultar em arquivamento de processo, aplicação de penalidade de advertência ou suspensão de até trinta dias ou instauração de processo disciplinar.

A legislação também determina que as reuniões da comissão sejam registradas em atas, mas fixa que elas terão "caráter reservado".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.