Dilma sobre sucessão: 'Não falo nem amarrada'

Em café da manhã com jornalistas no Palácio do Planalto, Dilma também não quis comentar possível candidatura de Lula e fez uma defesa clara do PT

Luciana Lima - iG Brasília | - Atualizada às

A presidenta Dilma Rousseff evitou falar nesta quinta-feira (27) sobre sucessão presidencial. Em um café da manhã com jornalistas, no Palácio do Planalto, Dilma repetiu a expressão usada por ela desde que chegou ao Planalto: “Sobre sucessão, não falo nem amarrada."

“Se eu falasse sobre isso, ao fim de dois anos de meu governo, estaria antecipando o fim do meu mandato. Eu vou governar até o dia 31 de dezembro de 2014”, reforçou.

Presidência da República
Presidenta Dilma Rousseff participa de café da manhã com jornalistas


Outro assunto evitado por Dilma, apesar de indagada, foi defesa por parte de alguns petistas mais tradicionais, de que o nome do partido para disputar as eleições seria o do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva .

Leia mais: Lula: 'Se voltar a ser candidato, quero o voto dos empresários que tinham medo'

A candidatura de Lula, para setores do partido, teria potencial para levantar o prestígio da legenda, abalada pelas condenações dos envolvidos no mensalão, além de ser uma instância de defesa do próprio ex-presidente, atacado por denúncias de corrupção que teriam sido praticadas em seu governo.

Leia também: Lula descarta candidatura durante ‘visita solidária’ de governadores

No encontro, Dilma tratou de fazer uma defesa do PT. “O PT deu e dá grandes contribuições ao país. Isso não significa que o partido não cometeu erros, mas o Brasil deve muito a tudo que o PT fez”, disse a presidenta, que, nos bastidores, é criticada por descolar sua imagem da sigla. “Falo do PT que é o meu partido, do qual sou filiada”, disse a presidenta.

Leia mais: Desagravo a Lula vira campanha para 2014

Na semana passada, em encontro com governadores, Lula negou que tivesse a intenção de se candidatar. No entanto, as denúncias da operação Porto Seguro, que atingiram membros da presidência da República nomeados por Lula, e do vazamento das informações que teriam sido prestadas pelo publicitário Marcos Valério, ligando Lula ao esquema do mensalão, reforçaram a ideia da candidatura dentro do partido.

    Leia tudo sobre: dilma rousseffcafé da manhãimprensajornalistaslulaeleições2014

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG