Declaração de Valério é 'tentativa desesperada' para reduzir pena, diz PT

Em nota oficial, o presidente nacional da legenda, Rui Falcão, afirmou que depoimento é 'uma sucessão de mentiras envelhecidas, todas elas já claramente desmentidas'

iG Brasília |

Em nota oficial divulgada na manhã desta terça-feira, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, classificou o depoimento de Marcos Valério à Procuradoria Geral da República (PGR) como “uma tentativa desesperada" de tentar diminuir a pena de prisão que Valério recebeu do Supremo Tribunal Federal (STF).

Reportagem do jornal O Estado de São Paulo revelou detalhes do depoimento prestado por Valério à PGR em 24 de setembro. Nele, Valério afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva balizou os empréstimos bancários que, em seguida, iriam irrigar o esquema do mensalão .

Entenda o caso: Valério diz que mensalão pagou despesas pessoais de Lula

AE
Presidente do PT, Rui Falcão, criticou o tratamento dado pela imprensa ao depoimento de Valério


Leia mais: Oposição pede à Procuradoria para investigar ligação de Lula com mensalão

Valério afirmou também que ajudou a bancar despesas pessoais do ex-presidente em 2003 por meio de depósitos feitos à empresa Caso, companhia cujo dono Freud Godoy, ex-assessor da Presidência. Um dos depósitos era de um valor aproximado a R$ 100 mil. Valério fez essas novas revelações buscando diminuir a sua pena no julgamento. O publicitário foi condenado à mais de 40 anos de prisão .

Na nota oficial, o presidente nacional do partido “lamenta o espaço dado pela imprensa para as supostas denúncias assacadas pelo empresário Marcos Valério contra o partido e contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva”. “Caso essas declarações efetivamente tenham sito feitas em uma tentativa de 'delação premiada', deveriam ser tratadas com a cautela que se exige nesse tipo de caso. Infelizmente, isso não aconteceu”, disse Rui Falcão.

Outubro: Operador do mensalão, Marcos Valério pede proteção e delação premiada

Condenação: Pena de Valério soma 40 anos por mensalão

O presidente do partido também classificou o vazamento do depoimento como “inexplicável”. “As supostas afirmações desse senhor ao Ministério Público Federal, vazadas de modo inexplicável por quem teria a responsabilidade legal de resguardá-las, refletem apenas uma tentativa desesperada de tentar diminuir a pena de prisão que Valério recebeu do STF”, prossegue. “Trata-se de uma sucessão de mentiras envelhecidas, todas elas já claramente desmentidas. É lamentável que denúncias sem nenhuma base na realidade sejam tratadas com seriedade”, afirma.

“Valério ataca pessoas honradas e cria situações que nunca existiram, pondo-se a serviço do processo de criminalização movido por setores da mídia e do Ministério Público contra o PT e seus dirigentes”, complementa.

Por fim, o presidente nacional do partido afirma que a legenda, durante os últimos dez anos, proporcionou o protagonismo da classe popular e que, por isso, o PT é “alvo constante de setores da sociedade que perderam privilégios”. “A campanha difamatória que estamos sofrendo nos últimos meses não impediu nossa vitória nas eleições de outubro e nem conseguirá manchar o trabalho que nosso partido tem realizado em defesa do país, da democracia e, principalmente, da população mais pobre”, finaliza Rui Falcão.

    Leia tudo sobre: mensalãomarcos valériolulajulgamento do mensalão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG