Prefeito de Porto Velho é afastado após operação da PF

Ação desarticulou grupo suspeito de desviar recursos públicos com licitações fraudulentas. Roberto Sobrinho (PT) estava entre os 21 mandados de afastamento de cargo público

Agência Estado |

Agência Estado

O prefeito de Porto Velho (RO), Roberto Sobrinho (PT), foi afastado na quinta-feira (6) do cargo durante operação da Polícia Federal, que desarticulou um grupo suspeito de desviar recursos públicos por meio de fraudes em licitações. A PF cumpriu mandados de prisão preventiva e temporária - com prazo inicial de cinco dias - contra 18 pessoas, entre elas três secretários municipais, a chefe de gabinete do prefeito, empresários e servidores.

Mais PF: 'Comissão está apurando', diz ministra sobre Operação Porto Seguro

A Operação Vórtice cumpriu ainda 31 mandados de busca e apreensão, outros 21 mandados de afastamento de cargo público e 22 mandados de indisponibilidade de bens dos investigados.

Segundo a PF, as investigações indicam que a organização criminosa formada por servidores públicos favoreceu empresas ao longo dos últimos oito anos em licitações cujos contratos somam R$ 100 milhões. Um inquérito foi instaurado no início do ano.

De acordo com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público ficou constatado que o esquema envolvia pessoas tidas como "laranjas". Foram detectadas fraudes nas secretarias municipais da Administração, de Serviços Básicos, Obras, Agricultura, na Procuradoria-Geral do Município e na Controladoria-Geral do Município.

Os investigados responderão por diversos crimes: formação de quadrilha, crimes de responsabilidade, corrupção ativa e passiva, tráfico de influência, advocacia administrativa, falsidade ideológica, uso de documento falso, fraude às licitações, peculato, crimes tributários e lavagem de capitais. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG