'Não fiquei surpreso', diz Lula sobre operação da PF que atingiu Rosemary

É a primeira vez que o ex-presidente fala sobre o assunto; ex-chefe de gabinete da Presidência está entre os indiciados no inquérito que investiga venda de pareceres técnicos

iG São Paulo |

Berlim foi palco do único comentário do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a Operação Porto Seguro , deflagrada pela Polícia Federal (PF) no mês passado e que investiga um esquema de venda de pareceres técnicos, tráfico de influências e corrupção em órgãos federais. Entre os indiciados, está a ex-chefe de gabinete da Presidência em São Paulo Rosemary Noronha, indicada por Lula.

Ministro da Justiça:  Cardozo nega que quadrilha atuava ‘no seio’ da Presidência 

Operação Porto Seguro: Escutas da PF flagram negociações

Leia também: Rosemary disse a aliados que trataria com Lula de nomeações

Entenda: Projeto suspeito no Porto de Santos motivou ação da PF, diz procuradora

"Não, não fiquei surpreso", disse Lula à imprensa nesta sexta-feira (7), na capital alemã, ao ser questionado sobre a operação. Pela manhã, o ex-presidente apresentou uma palestra para um público de cerca de 900 pessoas no congresso internacional do Sindicato dos Metalúrgicos da Alemanha.

Cardozo: 'A Polícia Federal não se submete a orientações políticas'

Ricardo Stuckert/Instituto Lula
Lula participa de colóquio da fundação alemã Friedrich Ebert sobre o papel do Brasil na nova ordem mundial

À tarde, Lula foi o convidado da fundação política alemã Friedrich Ebert para o colóquio sobre o papel do Brasil na nova ordem mundial que reuniu cerca de 450 pessoas. Além de Lula, participou do evento o líder da bancada social-democrata no Parlamento alemão, Frank-Walter Steinmeier, opositor ao partido da chanceler Angela Merkel. No sábado (8), Luiz Inácio Lula da Silva segue para Doha, no Catar.

A operação

A Operação Porto Seguro cumpriu mandados de busca e apreensão em órgãos do governo federal e no escritório da Presidência da República em São Paulo e deteve três pessoas.

Também foram indiciadas 18, entre elas Rosemary Noronha, e o advogado-geral adjunto da União, José Weber de Holanda Alves, acusados de envolvimento com um grupo que obteria pareceres técnicos fraudulentos que eram vendidos a empresas interessadas. Os dois foram exonerados dos seus cargos.

Outros órgãos que sofreram buscas foram o Ministério da Educação, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a Agência Nacional de Águas (ANA), a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) e a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos.

Ministro da Justiça

Esta semana, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, negou qualquer envolvimento de Lula nas irregularidades investigadas na Operação Porto Seguro . Em audiência pública na Câmara, Cardozo isse que a suspeição sobre Lula foi construída a partir de uma interpretação forçada em cima de e-mails pinçados seletivamente pela imprensa do inquérito, que soma 11 mil páginas. "Imaginar que o ex-presidente estivesse envolvido por trás disso está ao meu ver desmentido". 

Com Agência Estado

    Leia tudo sobre: operação porto segurolula

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG