Alvo de operação da PF, Advocacia-Geral da União cria Comissão de Ética

Integrantes serão nomeados para mandatos de três anos e terão a função de investigar denúncias de irregularidades

iG São Paulo |

Alvo da Operação Porto Seguro da Polícia Federal, a Advocacia-Geral da União (AGU) anunciou a criação de uma Comissão de Ética. De acordo com o órgão, a comissão será responsável por "receber denúncias, analisar possíveis irregularidades e repassar informações aos órgãos responsáveis pela investigação".

Leia também: Cardozo e Adams prestam depoimento ao Senado sobre operação da PF

"O objetivo é reforçar o controle sobre a atuaçãoi dos servidores e evitar práticas de ilícitos", afirma o comunicado da AGU. 

A criação da comissão ocorre após o ex-número dois do órgão, José Weber de Holanda, figurar entre os alvos da investigação que desmantelou um esquema de venda de pareceres técnicos fraudulentos que atuava no governo federal. 

Segundo a AGU, a comissão será formada por dois advogados públicos e um servidor administrativo, indicados por meio de lista tríplice elaborada pelo Conselho Superior da AGU. Os integrantes, segundo o órgão, terão mandato de três anos. 

*Com informações da Agência Estado

    Leia tudo sobre: Operação Porto SeguroAGU

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG