Ministro nega que Secretaria dos Portos tenha cedido ao esquema

Conversas gravadas de Paulo Vieira, cabeça do esquema alvo da Operação Porto Seguro, com o ex-senador Gilberto Miranda mostram que grupo queria projeto no Porto de Santos

Agência Estado |

Agência Estado

O ministro-chefe da Secretaria de Portos (SEP), Leônidas Cristino, disse que sua pasta negou o pedido feito por integrantes do esquema flagrado pela Polícia Federal na Operação Porto Seguro .

Conversas interceptadas do diretor da Agência Nacional de Águas (ANA), Paulo Vieira, apontado como chefe do esquema, com o ex-senador Gilberto Miranda, revelam que o grupo tinha interesse em regularizar um empreendimento portuário na área de Santos (SP) chamado Complexo Bagres. Para tanto, reuniu-se com o número dois da SEP, Mário Lima, secretário executivo.

Entenda:  Projeto suspeito no Porto de Santos motivou ação da PF, diz procuradora

Agência Brasil
Leônidas Cristino nega que Secretaria dos Portos tenha cedido ao esquema investigado pela PF


Governo: 'Comissão está apurando', diz ministra sobre Operação Porto Seguro

Vieira e Miranda queriam que a área onde o empreendimento será instalado fosse considerada de interesse público, requisito necessário para o licenciamento ambiental do projeto, pois a intenção era instalá-lo em uma área de mata atlântica. Segundo Cristino, o pedido foi negado porque o assunto não é da competência da SEP, e sim da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). O projeto encontra-se em análise na agência reguladora.

Segundo o ministro Cristino, Mário Lima é membro do Conselho de Administração (Consad) do Porto de Santos, assim como Paulo Vieira, que chegou ao colegiado por indicação do Ministério dos Transportes.

Ministro:  Pimentel diz que tentar envolvê-lo em crise é 'forçação de barra'

CCJ:  Comissão na Câmara aprova novo requerimento para ouvir Cardozo

Mas, sustentou, a única conversa que os dois tiveram fora do Consad foi na SEP. "Eles são colegas no Consad, o Paulo Vieira pediu para conversar sobre um investimento no Porto de Santos, como é que o Mário não vai receber?", questionou o ministro.

Na reunião, Vieira teria telefonado para Gilberto Miranda e colocado o telefone no viva voz, para os três combinarem um encontro na cidade do litoral paulista. Essa conversa foi interceptada pela PF. Nela, Mário Lima disse que seria um prazer encontrar-se com Miranda. "Ele é um rapaz educado", disse Cristino. "Mas o encontro não ocorreu." Essa conversa teria sido o único contato de Lima com Miranda, segundo a versão do ministro.

Leia mais:  Gilberto Carvalho nega ter recebido ligações de Rosemary Noronha

Rosemary:  PF tem 600 páginas de investigação da ex-chefe de gabinete em SP

Nas conversas degravadas pela PF, Vieira e Miranda falam num encontro com Mário Lima no dia 26 de abril, às 16h. Miranda chega a oferecer um helicóptero para buscá-los, o que é rejeitado por Vieira.

Segundo Cristino, Lima de fato foi a Santos naquele dia, para uma reunião ordinária do Consad. "Mas o Paulo nem foi", disse. O ministro admitiu ainda que Lima fez, no mês seguinte, após a reunião ordinária do Consad, uma visita a áreas do Porto de Santos, inclusive aquela onde Miranda pretende instalar o complexo Bagres.

Ele estava acompanhado do presidente da Companhia Docas de Santos, Renato Barco, e do empresário Luis Awazu, que preside a SPE Empreendimentos Portuários, a responsável pelo projeto polêmico.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG