Gleisi Hoffmann disse que os membros da comissão criada há dois dias para analisar as irregularidades identificadas pela PF têm 30 dias para apresentar resultados

Agência Estado

A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, disse nesta quarta-feira (28) que a Comissão de Sindicância Investigativa, criada pelo governo para apurar as irregularidades identificadas pela Polícia Federal na Operação Porto Seguro , está tomando todas as medidas necessárias.

Leia também:  PF tem 600 páginas de investigação da ex-chefe de gabinete em SP

Saiba mais:  Projeto suspeito no Porto de Santos motivou ação da PF, diz procuradora

"A comissão foi criada há dois dias, ( os membros ) já estão analisando e têm 30 dias para apresentar resultados. Todas as medidas estão sendo tomadas e serão tomadas ao longo das reuniões", disse a ministra, após participar de evento na sede da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Desdobramentos:  MEC nega favorecimento a faculdade citada em operação da PF

O Diário Oficial da União (DOU) da última segunda-feira (26) formalizou a criação da comissão, formada por três integrantes: o analista de finanças e controle Edson Daléscio, o procurador federal Paulo Cesar Wanke e o advogado da União Cesar Dutra Carrijo.

O escândalo já levou à demissão de Rosemary Nóvoa de Noronha , que ocupava a chefia do gabinete regional da Presidência da República em São Paulo, e de José Weber de Holanda, ex-número dois da Advocacia-Geral da União (AGU).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.