Aplicação de penas contra réus do mensalão deve terminar esta semana

STF vai definir durante essa semana pena de nove dos 25 condenados; entre os quais, o ex-presidente da Câmara, João Paulo Cunha e o delator do mensalão, Roberto Jefferson

Wilson Lima - iG Brasília | - Atualizada às

Durante essa semana, o Supremo Tribunal Federal (STF) deve concluir a imputação de penas contra os réus condenados no julgamento do mensalão . O STF ainda precisa definir a pena de nove dos 25 condenados.

Nesta segunda-feira, o relator do processo e presidente do STF, ministro Joaquim Barbosa, deve impor as penas contra o ex-presidente da Câmara, deputado João Paulo Cunha (PT-SP). Ele foi condenado pelos crimes de peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Também existe a possibilidade de Joaquim Barbosa trazer a plenário a discussão sobre a pena contra o ex-presidente do PTB, Roberto Jefferson, condenado pelo crime de corrupção passiva .

Veja o especial do iG sobre o julgamento do mensalão

Agência Brasil
Ministros devem finalizar discussão das penas a serem aplicadas aos condenados do mensalão


STF:  Ministros admitem que prisões de réus do mensalão só em 2014

A ideia de alguns ministros, como o presidente Joaquim Barbosa, é acelerar durante estas três sessões a imputação de pena contra os réus do mensalão. O revisor do processo, Ricardo Lewandowski, também tem opinião semelhante, principalmente, porque, na visão dele, as penas mais complexas já foram imputadas e não há mais necessidade de grandes discussões na Corte, a partir de agora.

Na única sessão da semana passada, o Supremo concluiu a imputação de pena contra o ex-tesoureiro do PL, Jacinto Lamas; o ex-assessor do PP, João Claudio Genu os ex-sócios da corretora Bônus Banval Breno Fischberg e Enivaldo Quadrado, além de Henrique Pizzolato , ex-diretor do Banco do Brasil. O STF também finalizou a votação pelo crime de lavagem de dinheiro contra Rogério Tolentino, que se prolongou durante as duas últimas sessões do Supremo.

Ex-ministro:  Em plenária, Dirceu pede 'julgamento do julgamento' do mensalão

MP:  Procurador-geral vai pedir ao STF penas mais duras no mensalão

O STF também já imputou pena contra o ex-ministro chefe da Casa Civil, José Dirceu , condenado a 10 anos e 10 meses de prisão. Ele também terá de pagar uma multa de mais de R$ 600 mil pelos crimes de formação de quadrilha e corrupção ativa. Outros integrantes do núcleo do PT também foram condenados como o ex-presidente do PT José Genoino , que pegou 6 anos e 11 meses de prisão em regime semiaberto e o ex-tesoureiro Delúbio Soares , que ficará 8 anos e 11 meses na cadeia também pelos mesmos crimes.

Até agora, o réu com a maior pena no julgamento do mensalão é Marcos Valério, operador do esquema, condenado a 40 anos de prisão . No entanto, essas penas não são definitivas.

O STF ainda vai discutir a possibilidade de reduzi-las no final do julgamento caso a corte interprete que houve continuidade delitiva em crimes diferentes. Do outro lado, a Procuradoria Geral da República (PGR) vai ingressar com uma petição pedindo a revisão de algumas destas penas justamente por achá-las brandas demais em virtude de uma alegada gravidade delituosa da conduta de alguns dos réus condenados.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG