Barbosa é tietado em festa da posse na presidência do Supremo

Cercado de flashes, ministro do STF precisou de cerco de seguranças para poder caminhar; festa reuniu 1.200 convidados em Brasília

iG São Paulo |

O novo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) teve uma noite de pop star. Na festa para 1.200 convidados, em que comemorou sua posse, o ministro Joaquim Barbosa pousou para centenas de fotos e foi abraçado por convidados que o seguiam em uma casa de festas em Brasília, na quinta-feira.

Rodeado por uma hora pelos convidados, precisou de um cerco de seguranças do tribunal para conseguir caminhar. Barbosa chegou à festa por volta de 21h e foi aplaudido pelos convidados, que já o aguardavam desde as 20h.

Discurso de posse:  Barbosa diz que juiz deve se afastar de más influências

Confira o especial do iG sobre o julgamento do mensalão

O cerimonial do tribunal montou um espaço reservado para que o ministro recebesse os cumprimentos pela posse. Mas Barbosa recusou a privacidade. "Eu quero andar", ele disse. E a segurança teve de ser reforçada.

Uma hora depois da sessão de fotos, Barbosa conseguiu chegar à mesa onde estava sua mãe, Benedita.

Leia mais: Celebridades elogiam estilo de Barbosa em posse no STF

Mas nem assim conseguiu se livrar dos flashes. Cercado pelos seguranças, o ministro deixou o salão e refugiou-se no jardim. As saídas foram bloqueadas.

Passava das 22h quando Joaquim Barbosa, isolado, conseguiu tomar sua primeira taça de champanhe para comemorar sua posse. À porta, uma fila de convidados o esperava para mais fotos.

Supremo: 'Barbosa brigava até em jogo de futebol', diz familiar de presidente do STF

1ª mulher a presidir o STF: 'Brasil muda hoje', diz Ellen Gracie sobre Barbosa

Babosa sucedeu o ministro Ayres Britto na presidência da Suprema Corte. De perfil polêmico, ele assume com a tarefa de amenizar os desgastes que resultaram de mais de três meses de julgamento do mensalão , processo do qual também é relator.  

À tarde, durante o seu discurso, de pouco mais de 15 minutos, Barbosa ressaltou a importância de se ter um Judiciário independente , bem como juízes afastados de más influências e de laços políticos. "Às vezes, preciso reforçar a independência do juiz para afastá-lo de múltiplas e más influências que podem minar o seu poder de independência (...) laços políticos dos quais eles podem se tornar tributários", afirmou, muito aplaudido.

Com Agência Estado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG