Patrimônio ilegal de Cachoeira chega a R$ 160 milhões, aponta relatório da CPI

Grupo liderado pelo bicheiro aplicou recursos principalmente em imóveis, como a fazenda de R$ 20 milhões da mulher do contraventor; relator classifica patrimônio como 'invejável'

Nivaldo Souza - iG Brasília |

O relatório final da CPI do Cachoeira, apresentado nesta quarta-feira (21) pelo relator da comissão parlamentar de inquérito, deputado Odair Cunha (PT-MG), indica a existência de R$ 160 milhões somente em bens gerados pelo esquema de jogos ilegais comandado pelo bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. “O resultado da investigação é que a organização criminosa, por meio dos seus integrantes, amealhou um acervo patrimonial invejável”, diz o relatório.

Especial: Confira a cobertura completa do iG sobre a CPI do Cachoeira

Leia também: Carlinhos Cachoeira deixa presídio da Papuda, em Brasília

O patrimônio, composto principalmente por imóveis e automóveis, está distribuído entre diversos integrantes da organização criminosa nos Estados de Goiás, Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro Tocantins e no Distrito Federal. “Os integrantes da organização criminosa têm certa preferência pela ocultação de patrimônio através do mercado imobiliário, usando pessoas como verdadeiros ‘laranjas’, visando forjar a licitude da origem do dinheiro”, afirma o documento elaborado por Cunha.

Agência Brasil
Relator considerou patrimônio atribuído ao esquema de Cachoeira como 'invejável'

A Fazenda Santa Maria, avaliada em R$ 20 milhões, encabeça a lista de bens milionários do esquema montado pelo bicheiro. O imóvel de 16 hectares na área urbana do Distrito Federal está em nome de Andressa Alves Mendonça, atual mulher de Cachoeira. A fazenda teria sido paga por trucado sistema financeiro, envolvendo carros e um avião. A aquisição seria, de acordo com o relatório da CPI, “parte da engenharia que era utilizada para lavagem de dinheiro”.

A ex-mulher do bicheiro, Andrea Aprígio, possui patrimônio estimado em R$ 7 milhões, distribuídos em casas, apartamentos e salas comerciais.

Leia mais: Relator da CPI do Cachoeira pede investigação sobre Gurgel

O bicheiro tem apenas R$ 1,5 milhão em imóvel registrado em seu nome. Cachoeira é oficialmente dono de um terreno de 904,8 mil metros quadrados em condomínio de luxo de Goiânia.

O relatório aponta familiares do bicheiro com patrimônios milionários. Entre eles, o irmão de Cachoeira, Reginaldo Celio de Almeida Ramos, proprietário de dez imóveis – a maioria terrenos – avaliados em R$ 17,18 milhões.

A investigação envolvendo Polícia Federal, Ministério Público Federal e Banco Central identificou patrimônio de R$ 4,64 milhões em nome de Carlos Dias Abreu, diretor da Construtora Delta na região Centro-Oeste.

Outro milionário apontado pelo relatório da CPI é Deuselino Valadares dos Santos, delegado da Polícia Federal. Foram identificados R$ 4,5 milhões de Santos, dono de uma fazenda de 4.000 alqueires em Senador José Porfírio, no Pará.

Leia também: Parlamentares pedem prorrogação da CPI e convocação de Cachoeira

O grupo teve 87 veículos apreendidos pela Polícia Federal: 51 carros, 32 motocicletas e quatro caminhões. Eles somam R$ 4,355 milhões. A lista inclui quatro carros de luxo da marca Porsche que, somados, valem R$ 990 mil.

O esquema comandado por Cachoeira controla ainda diversas fazendas no Centro-Oeste. As propriedades possuem 3.415 cabeças de gado e búfalos avaliadas em R$ 2,7 milhões.

O grupo liderado por Cachoeira conta ainda com participações em diversas empresas, principalmente na área de comunicação. O braço empresarial representa R$ 11,48 milhões do patrimônio total.

A Polícia Federal apreendeu durante a investigação das operações Vegas e Monte Carlo um conjunto de bens avaliados em R$ 90 milhões, incluindo o avião de R$ 750 mil.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG