Dilma diz que política social tem que passar por ações afirmativas

Ao anunciar pacote de medidas para comunidades quilombolas, presidenta disse que governo vai intensificar política afirmativa iniciada durante o governo Lula

iG São Paulo | - Atualizada às

Em meio à discussão sobre a criação de cotas no serviço público e ao avanço de cotas em universidades públicas, a presidenta Dilma Rousseff saiu nesta quarta-feira em defesa de políticas e ações afirmativas do governo federal. Durante um evento organizado em alusão ao Dia da Consciência Negra, comemorado ontem, a presidenta disse que o governo considera as políticas afirmativas como parte fundamental da política social do governo e disse que a ordem é intensificar as medidas iniciadas na gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva .

Leia também: Governo prepara projeto de cotas para negros no serviço público

"Fazer política social no nosso País significa atender à população que foi tradicionalmente afastada dos ganhos e das riquezas. Nós temos de combinar essa política ampla, social, como o caso do Bolsa Família, do Brasil sem Miséria, com políticas voltadas para ações afirmativas de raça e gênero", afirmou Dilma. No evento, foram anunciadas medidas como a inclusão de quilombolas no programa Brasil sem Miséria e a concessão de títulos fundiários a essas comunidades.

Agência Brasil
Presidenta participou de cerimônia para o anúncio de medidas para comunidades quilombolas

A presidenta chegou a brincar ao apresentar a Secretaria de Promoção da Igualdade Racial como "Secretaria de Afirmação da População Afro-descendente". "Um País que teve pouco mais de 100 anos de escravidão não pode deixar de lembrá-la", disse a presidenta. "Estamos reparando injustiças históricas, e cada um de nós, da presidenta da República a todo cidadão brasileiro, temos que saber a importância de nossas raízes nacionais."

As declarações da presidenta ocorrem um dia após o Tribunal Superior do Trabalho (TST) estabelecer que contratos de prestação de serviços com a Corte terão obrigatoriamente de contemplar uma cota de 5% para negros . A adoção de cotas para negros em todo o serviço público também está sendo articulada pelo governo federal, numa medida que atingiria tanto cargos comissionados como concursados. 

Durante a cerimônia, Dilma defendeu especificamente a política do governo para a implantação de cotas nas universidades federais. "Esta é uma das conquistas mais importantes do nosso País", afirmou a presidenta. 

*Com informações da Agência Estado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG