Ministério Público de Goiás pede condenação de Carlinhos Cachoeira

Procuradoria acusa o bicheiro de cometer 17 vezes quatro crimes: quadrilha, corrupção, peculato e acesso indevido a informação sigilosa

Agência Brasil | - Atualizada às

Agência Brasil

O Ministério Público Federal em Goiás (MPF/GO) propôs à Justiça Federal a condenação do empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, por quatro crimes cometidos 17 vezes. As práticas criminosas listadas pela procuradoria são: formação de quadrilha armada, corrupção, peculato e acesso indevido à informação sigilosa.

Leia também: STF concede liminar e livra Marconi Perillo de depor na CPI

De acordo com a 11ª Vara da Justiça Federal em Goiás, onde tramita o processo contra Cachoeira e mais sete réus, o prazo para a apresentação das alegações finais da defesa termina hoje (19), conforme estipulado pela Justiça Federal. Depois, o juiz federal Alderico Rocha Santos, responsável pelo processo, terá 30 dias para proferir a sentença. Cachoeira está preso desde fevereiro na Penitenciária da Papuda, na capital federal.

Em Brasília, a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Cachoeira se reúne na próxima quarta-feira (21) para a apresentação do relatório final, elaborado pelo deputado Odair Cunha (PT-MG). O relator da comissão já adiantou que pretende propor o indiciamento de todos aqueles que optaram pelo silêncio em depoimento ao colegiado. Um dos primeiros a ser convocado pela CPMI, Cachoeira preferiu não responder a nenhuma pergunta dos membros da comissão.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG