Dois anos após início da segunda etapa do programa, menos da metade das obras até 2014 previstas está concluída

Agência Brasil

A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, avaliou hoje (19) que os atrasos das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) fazem parte “da regra do jogo”. Em quase dois anos, metade do tempo previsto para a conclusão dos serviços, o programa atingiu até setembro, menos da metade das obras concluídas. Até o momento, 38,5% dos empreendimentos foram entregues .

Especial: Confira a cobertura completa do iG sobre cinco anos do PAC

A ministra Miriam Belchior, no anúncio do quinto balanço do PAC
Agência Brasil
A ministra Miriam Belchior, no anúncio do quinto balanço do PAC

“O atraso é da regra do jogo, tem que se verificar o tamanho proporcionalmente à obra. O que avaliamos é a criticidade, em alguns casos é mais sério que outro. Por exemplo, obra paralisada por decisão judicial, para nós é risco maior que a obra retomada com atraso, não tem mais sentido classificá-la ( obra com atraso ), como preocupante”, comentou.

Para melhorara o “monitoramento”, o ministério adotou uma tabela de controle, considerando valores gastos, no qual considera que 92% das obras estão concluídas. “Se eu considerar valor, do nosso ponto de vista, este é o melhor critério para avaliar as obras do PAC, 92% estão concluídas”, disse a titular da pasta.

A tabela, que considera valores, indica que 74% das obras estão com andamento adequado, 6% estão em estado de atenção e 2% em estágio preocupante. Apenas 18% dos serviços estão concluídos. A segunda etapa do programa, investiu, até o momento, R$ 385,9 bilhões. Dados do balanço, divulgado hoje, apontam que foram gastos R$ 272,7 bilhões com obras finalizadas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.