Genoino esperava pena maior do STF

Ex-presidente do PT foi condenado a 7 anos e 11 meses de prisão em regime semiaberto pelos crimes de corrupção ativa e formação de quadrilha

Ricardo Galhardo - iG São Paulo |

O ex-presidente nacional do PT José Genoino disse a amigos ter ficado surpreso com a pena de 6 anos e 11 meses de prisão por corrupção ativa e formação de quadrilha determinada ontem pelo Supremo Tribunal Federal. Segundo interlocutores de Genoino, ele esperava uma pena maior, de no mínimo 10 anos de prisão, que o levaria a cumprir parte da sentença em regime fechado. “Ele está muito indignado, mas esperava uma pena maior”, disse um interlocutor de Genoino.

Família:  Irmão diz que Genoino não tem dinheiro para pagar multa imposta

Leia mais: Penas do núcleo do PT passam de 25 anos

José Dirceu: 'Não me conformo com a injusta sentença'

Futura Press
Genoino foi condenado pelo STF a 7 anos e 11 meses de prisão em regime semiaberto

O ex-presidente do PT disse a amigos que, surpreendido pelas condenações no decorrer do julgamento, chegou a cogitar a possibilidade de não aceitar progressão de pena. “A ideia era não aceitar progressão de pena, se colocar como preso político, vítima de um julgamento de exceção, recorrer à Corte Interamericana de Direitos Humanos da OEA e, com base na decisão, esperar por um indulto”, disse um amigo de Genoino.

Rui Falcão:  STF foi injusto, diz presidente do PT sobre penas

José Dirceu: STF fixa a pena em 10 anos e 10 meses de prisão

Genoino: Ex-presidente do PT é condenado a quase 7 anos de prisão

Delúbio: Ex-tesoureiro pega mais de 8 anos de prisão

O advogado do petista, Luiz Fernando Pacheco, negou que Genoino vá recusar o regime semiaberto ao qual terá direito. “Não tem nada disso. Foi só um boato”, disse Pacheco.

Segundo ele, Genoino ainda não decidiu se vai assumir uma cadeira na Câmara à qual tem direito como suplente de deputado. “Ele ainda não decidiu se vai assumir. Pela decisão do STF Genoino perderá os direitos políticos quando a sentença transitar em julgado”, disse Pacheco.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG